Centenários e superstições

Por Leonardo Dahi

Superstição em torno dos centenários de clubes suscitam várias discussões e teorias em mesas de bar. Há quem diga que no 100º ano, o time está amaldiçoado. Outros levantam a hipótese de proteção divina. Sabendo disso, resolvemos levantar alguns exemplos dos dois casos. Continue lendo “Centenários e superstições”

Olmeta e a loucura debaixo das traves

Goleiro francês foi o antecessor de Barthez no Marseille campeão europeu em 1993, Olmeta tinha outras cartas na manga além do talento, além de ter mais boas histórias para contar do que o carequinha, que ainda causa arrepios na torcida brasileira por 1998 e 2006. Continue lendo “Olmeta e a loucura debaixo das traves”

Eles são apaixonados por seus clubes. E você provavelmente não sabia disso

Artistas famosos revelam admiração e amor pelos seus clubes; conheça e relembre alguns exemplos como Antonio Banderas, presença frequente em La Rosaleda, casa do Málaga. Lembramos até Mano Brown e Lana del Rey. Continue lendo “Eles são apaixonados por seus clubes. E você provavelmente não sabia disso”

Laudrup, uma questão de genética

Michael Laudrup ainda é para muitos o melhor jogador da história de seu país: campeão por onde passou e grande capitão da melhor Dinamarca já vista nas Copas de 86 e 98, o meia teve sua melhor fase no Barça, apesar de ter uma boa história para contar do outro lado da rivalidade, pelo Real Madrid. Continue lendo “Laudrup, uma questão de genética”

Bilic, o zagueiro do rock

Despojado, imponente, técnico e chefe da cozinha croata: este é Slaven Bilic, o maior zagueiro que já jogou com a camisa axadrezada da Croácia. Unindo a sua boa estatura com um excelente posicionamento e comando da grande área, Bilic foi o paredão por trás da boa campanha no Mundial de 1998, na França, quando os eslavos foram até a semifinal, perdendo para os donos da casa.Bilic foi o xerifão da Croácia que explodiu na Copa de 1998 e quase aprontou a maior zebra da história dos Mundiais; beque era um legítimo roqueiro fora das quatro linhas. Continue lendo “Bilic, o zagueiro do rock”

Conti, o filho de Nettuno

Conti era a principal prata da casa da Roma na década de 1980, quando a equipe giallorossa duelou entre os grandes italianos. Ponta esquerda dos mais elétricos, Bruno Conti foi um dos pilares da era mais gloriosa da história da Roma, que entre 1980 e 1991 venceu uma Serie A e cinco Coppa Italia. Nascido em Nettuno, nas adjacências da capital, foi símbolo de uma geração quase toda revelada no Olímpico. Rápido, habilidoso e letal, encantava até mesmo os seus rivais com o seu estilo arrojado de jogo. Continue lendo “Conti, o filho de Nettuno”