Detalhamos o ano em que Totti foi Chuteira de Ouro da Europa

Autor de 32 gols na temporada 2006-07, Totti ficou com a Chuteira de Ouro em virtude da Serie A ter peso maior que a Eredivisie. Na ocasião, Afonso Alves marcou 36 vezes e acabou ficando com menos pontos do que o capitão romanista.

Quando Francesco Totti chegou aos 30 anos de idade, esperava-se que o seu corpo fosse sentir os efeitos do tempo e da grave lesão sofrida meses antes da Copa do Mundo de 2006. Entretanto, o título mundial com a Itália ajudou a revigorar a carreira do capitão giallorosso, que se reinventou como goleador.

Desde 1997, a média de gols de Totti por temporada já era alta. Apenas em 1999-00 que ele destoou, anotando oito. Depois disso, após a conquista do scudetto, o potencial artilheiro de Francesco decolou de vez. Em 2002-03 e 2003-04, terminou a temporada com 20 gols. A experiência permitiu que ele encontrasse atalhos no campo e inspiração suficiente para balançar as redes.

Neste intervalo tivemos vários golaços e um desempenho absurdo. Totti só não é mais estimado pelo óbvio fato de não ter sido campeão italiano mais vezes. E claro, também por ter sido o grande destaque de equipes medianas e com limitações técnicas. Isso fica evidente quando notamos que ele foi oito vezes artilheiro da Roma em 24 temporadas. O detalhe é que durante a década de 1990, ele não era escalado como atacante. Isso só passou a acontecer na metade da década de 2000.

É mais fácil lembrar de Totti pelos anos mais recentes, em que ele se consolidou como um pistoleiro da pequena área. Nos seus áureos tempos de vigor físico e disposição, Il Capitano foi um meia muito versátil e criativo, capaz de dar passes de primeira em longa distância, achar espaços impossíveis em milésimos de segundo. Qualquer vídeo dos seus talentos dá conta de provar essa capacidade, e a presença constante como titular da Itália em uma geração tão rica é o que o torna incontestável.

Sentimentos mistos

LEIA TAMBÉM: Raio-x dos 316 gols de Totti, no FutDados

Na temporada 2006-07, quando foi Chuteira de Ouro, Totti puxou um alto rendimento dos colegas. Estamos falando de uma equipe treinada por Luciano Spalletti que ficou em segundo lugar na Serie A, 22 pontos atrás da Internazionale de Roberto Mancini e Ibrahimovic, um baita esquadrão. Que se vingou dos interistas vencendo a Copa da Itália e alcançou as quartas de final da Liga dos Campeões.

Totti foi o artilheiro da Serie A, com 26 gols, seis a mais do que Cristiano Lucarelli, do Livorno. Dentro do que a Roma era capaz, terminar a temporada no segundo lugar e com uma taça era animador. Afinal de contas, desde 2001 que a equipe passava em branco. E vale lembrar que o clube também sofreu com uma crise financeira entre 2004 e 2005, portanto, ainda vinha cambaleando no cenário italiano, com contratações modestas e jogadores folclóricos.

Doni, Panucci, Martinez, Chivu, Mexès, Cufré, Ferrari, Wilhelmsson, Pizarro, Taddei, Aquilani, De Rossi, Perrotta, Tonetto, Cassetti, Mancini, Montella, Tavano, Vucinic, Okaka, Nonda, Mido e Cerci. Tem como sonhar com algo quando se olha para um plantel desse nível? Por isso é que podemos dizer seguramente que Totti fez mágica. Não só por liderar o grupo, como por inspirar e fazer gols incríveis. O que pesa de forma negativa nesta temporada é a eliminação absurda diante do Manchester United, com direito a 7-1 em Old Trafford, um jogo que romanista nenhum esquece.

A maior vítima de Francesco naquela campanha foi a Sampdoria, que sofreu quatro gols em dois jogos, entre eles, esta maravilha aí de cima. Ao todo, foram nove dobradinhas do romanista na temporada: as duas contra a Samp e também contra Milan, Atalanta, Palermo, Chievo, Udinese, Cagliari e Messina. Pela Champions, Totti anotou quatro tentos em nove partidas, passando em branco no duelo contra o United, que encerrou a campanha do clube na competição.

A decisão da Copa da Itália teve o dedo de Totti. No primeiro jogo, em Roma, o placar de 6-2 para o time da casa abalou fortemente a Internazionale, que não conseguiu reagir na volta (veja o vídeo). Totti abriu o placar logo no primeiro minuto e depois viu de perto os gols de De Rossi, aos 5, Perrota, aos 16, Mancini, aos 30 e Panucci, aos 54 e aos 89, fechando a conta. Crespo fez os gols de honra interistas. A Inter só conseguiu um placar de 2-1 na volta, com gols de Crespo e Julio Cruz. Perrotta marcou para a Roma e os visitantes levantaram a taça no San Siro.

Nos dois últimos jogos pela Serie A, Totti balançou as redes quatro vezes em jogos malucos, na derrota para o Cagliari por 3-2 e na despedida da temporada, contra o Messina, com o placar de 4-3 para os capitolinos. Foi o suficiente para que Francesco ficasse com o prêmio da Chuteira de Ouro.

Como a disputa contemplava apenas os gols válidos pela Liga, Totti se sagrou vencedor com apenas 26, enquanto Afonso Alves conseguiu 37 com a camisa do Heerenveen, sendo 34 pelo Holandês. Os gols pela Serie A tinham peso de 2, enquanto os da Eredivisie somavam apenas 1,5. Francesco somou 52 pontos, um a mais que Afonso, para ficar com o troféu. A discussão sobre a justiça deste prêmio fica para outra ocasião.

Um pensamento em “Detalhamos o ano em que Totti foi Chuteira de Ouro da Europa”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *