Depois de ressurgir das cinzas, Parma já mira a Serie B italiana

Equipe crociati já está nas quartas de final da Serie C e mira o acesso para a segunda divisão local. Dois anos após a falência, o Parma reúne forças para ressurgir das cinzas outra vez.

Depois de vencer o clássico da Emília-Romanha contra o Piacenza, o Parma já está sonhando com o acesso para a Serie B italiana. O time não é nem de longe um combinado de velhas glórias italianas. A reformulação devolveu o caráter modesto a um clube que saiu do anonimato com a força e o dinheiro da Parmalat para se infiltrar entre os grandes clubes do país na década de 1990. Duas décadas depois de seus maiores títulos, o Parma amargou um processo de falência e foi parar na última divisão de futebol profissional.

Superação parece ser a palavra chave para esta nova fase no estádio Ennio Tardini. A torcida comparece e empurra o elenco para mais esta arrancada incrível na história do clube. Não se passaram nem dois anos desde que tudo ficou em ruínas e a nova administração sabe que não adianta dar passos maiores do que as pernas. No futebol não se faz mágica, ainda mais com um orçamento restrito.

Na primeira fase pelo Grupo B, no formato de pontos corridos, o Parma ficou em segundo na chave, a 10 pontos de distância do líder Venezia, que garantiu promoção direta para a Serie B. A campanha foi oscilante, com 20 vitórias, 10 empates e oito derrotas. A participação valeu uma posição privilegiada na segunda fase, em escala nacional. Sem jogar, o Parma apenas aguardou o seu adversário nas oitavas. E calhou de ser o Piacenza, para reacender uma rivalidade regional.

No último dia 21, um empate em 0-0 na casa do Piacenza. O jogo de volta foi disputado no dia 24, com triunfo por 2-0 dos crociati no Ennio Tardini, gols de Baraye e Nocciolini. Destacam-se no elenco atual o eterno capitão Alessandro Lucarelli, com 39 anos, os meias Francesco Corapi, Crocefisso Miglietta, Davide Giorgino e Manuel Scavone, além dos atacantes Pasquale Mazzocchi, Manuel Nocciolini, Yves Baraye, Emanuele Calaiò e o jovem Davide Mastaj. Pouquíssimos jogadores já tiveram passagem por equipes de elite e a média de idade é de 27, com muitos deles já na casa dos 35, 36 anos.

A experiência é um fator importante na briga por uma vaga nas próximas fases. Se a Serie B ficar mais próxima, a chegada de reforços mais conhecidos e qualificados será necessária. Mas o Parma não mira uma ascensão meteórica.

Diferente de outros tempos, Nevio Scala entende que o caminho pode até ser curto para um retorno à primeira divisão, mas a dificuldade para manter o nível é o primeiro grande objetivo. Ex-técnico nos áureos tempos dos gialloblu, Scala parece ser o nome adequado para reconduzir o Parma ao seu devido lugar.

O sorteio das quartas de final está previsto para esta tarde. O Parma conhecerá seu adversário na luta por uma vaga nas semifinais. Até o momento, também estão classificados: Alessandria, Lecce, Cosenza, Livorno, Pordenone, Reggiana e Lucchese. Só um deles completará a turma dos que jogam a Serie B em 2017-18, que já conta com Vicenza, Cremonese e Foggia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *