Aos 43 anos, Loskov retorna ao Lokomotiv apenas para se despedir da torcida

Aos 43 anos, ex-capitão do Lokomotiv Moscou voltou ao time para uma última partida. Inscrito apenas para esta finalidade de um jogo especial em sua homenagem pelo Campeonato Russo, Dmitri Loskov se despediu definitivamente da torcida, quatro anos depois da aposentadoria.

Enquanto Zé Roberto ainda aguarda os seus 43 anos de idade em campo pelo Palmeiras, teve gente que já foi e já voltou da aposentadoria, como o ídolo argentino Juan Sebastián Verón, que no alto dos 41 anos, defende o Estudiantes na Copa Libertadores deste ano.

Mas há quem tenha esperado quatro longas temporadas para voltar a vestir a camisa do time do coração. No penúltimo jogo em casa da temporada, o Lokomotiv Moscou, recém-coroado campeão da Copa da Rússia, trouxe de volta um velho ídolo. Dmitri Loskov, aposentado em 2013, vestiu pela última vez o uniforme rubro-verde da equipe moscovita. Ele não jogava oficialmente desde setembro de 2012.

Escalado para enfrentar o Gazovik Orenburg na tarde de sábado, Loskov teve alguns minutos em campo para receber o carinho de sua torcida, com o velho número 10 que sempre trouxe às costas.

Emocionado, deu alguns toques na bola e também usou a faixa de capitão do Lokomotiv. Dmitri jogou apenas 10 minutos e foi substituído, para aplauso geral no estádio. Já é mais do que Francesco Totti está acostumado a jogar nesta temporada sob o comando de Luciano Spalletti. Com o mesmo estilão dos tempos de jogador, Loskov se emocionou ao deixar os gramados e entregou sua última camisa ao filho, que esperava na lateral.

Bom para ele, que acompanhou um ótimo jogo do Lokomotiv, que meteu 4-0 no Gazovik. Desde o começo de 2017, Loskov vinha atuando como assistente técnico de Yuriy Semin. Apesar de ainda ter mais um compromisso jogando em Moscou, o clube optou por permitir o retorno breve de Loskov neste sábado.

A longa carreira de Loskov começou em 1991, pelo Rostov. Contratado em 1998 pelo Lokomotiv, não demorou a se tornar ídolo. Bicampeão russo, três vezes vencedor da Copa da Rússia e consolidado duas vezes como artilheiro, deixou a equipe pela primeira vez em 2007, para defender o Saturn. Voltou em 2010 para encerrar seu legado e durou mais dois anos.

Como a saída em 2012 não ocorreu como planejado, coube a Dmitri resgatar sua história e retirar o uniforme do armário para uma vez mais fazer a alegria do seu povo. Foi pouco, não houve gol e nem um lance que recuperasse a sua magia. Mas afinal de contas, era o lendário camisa 10 dos ferroviários ali, acenando com seus 12 anos de dedicação como atleta. Que sejam mais 12, 20, 30, ainda que como dirigente ou parte da comissão técnica.

Em entrevista ao site oficial do Lokomotiv, o camisa 10 disse algumas palavras sobre a sua experiência:

Meu sonho foi realizado. Eu estava nervoso, não jogava há muito tempo. Quero agradecer ao presidente e aos nossos torcedores por esta chance de encerrar minha carreira com um último jogo. Posso definitivamente pendurar minhas chuteiras ou deixa-las para as crianças.

Respeitar seus ídolos é a melhor forma de preservar o rico legado de uma equipe de futebol tão tradicional dentro da Rússia como o Lokomotiv. Loskov é um homem de sorte por poder vivenciar esse frenesi de ser o centro das atenções. Agora ele deve curtir sua nova função em paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *