As camisas mais arrebatadoras de Roma e Lazio

É fim de semana de dérbi na Itália. Os rivais da cidade eterna se pegam no último capítulo desta partida na temporada, às 7h30 do próximo domingo. Foram três até o momento e o quarto é parte de uma briga por vagas europeias. Sabendo disso, chamamos o laziali Cleber Gordiano para escolher as camisas do lado da Lazio. É hora de abrir o guarda-roupa, pessoal.

Roma, por Felipe Portes

2016-17, especial: Menos é mais, diria Henrique Fogaça. A Nike acertou a mão em todas as camisas titulares da Roma desde 2014. E atirou no coração da torcida com esta peça especial do dérbi. A Roma só usará este uniforme duas vezes, a segunda será domingo.

1983-84: Puta camisa linda do cacete. Tempos gloriosos, craques, scudetto, títulos da Coppa. A Roma oitentista usou muitos anos o mesmo desenho, em parcerias com a Patrick, Kappa e Ennerre. Essa é a mais marcante por motivos óbvios. Na foto, Conti, Pruzzo e Falcão. Que os três tenham vida longa, amém.

1983-84: Linda e trágica. Com esta camisa, a visitante da linha da Kappa em 1984, a Roma perdeu em casa a Copa dos Campeões Europeus para o Liverpool, nos pênaltis. Ela brilhava, tinha personalidade própria. E que time. Pena que ficamos com o vice.

2002-03: Minha favorita na vida. Quem veste na foto é Pep Guardiola, em uma de suas temporadas no clube. As mangas laranjas no modelo especial da Champions foram inéditas e caíram muito bem na peça, casando com os detalhes em preto e o patrocínio da Mazda.

2002-03: A camisa titular da temporada também era qualquer nota. Respeitando as cores da Roma e com simplicidade. Quando Antonio Cassano vivia seu auge. A gente era feliz e sabia.

Lazio, por Cleber Gordiano

1974-75: a primeira camisa biancoceleste com o scudetto no peito. Bem parecida com a do ano do título (obviamente na época ainda não havia tantas alterações nos uniformes), a casaca celeste com detalhes em branco, usada por Giorgio Chinaglia e companhia levava o escudo tricolor sobre o peito esquerdo, representando o primeiro título de Serie A da formação romana.

1979-80: Pela primeira vez a águia, símbolo da Lazio, aparece no uniforme da equipe. A fabricante romana Pouchain, depois de desenvolver um escudo com a loba para a rival Roma, inovou também na camisa biancoceleste. Destaque também para o estiloso colarinho branco (sem trocadilhos, pfvr), que contrastava muito bem com um tom de celeste mais forte.

1982-83: Nenhum torcedor da Lazio que se preze deixaria essa clássica camisa de fora. O desenho da águia em azul mais escuro no tronco do uniforme é tão clássico que ganhou novas versões em 1986-87, 2014-15 e 2015-16 e é uma obra prima da fabricante Ennerre. A maglia bandiera (camisa-bandeira) laziale é uma das mais bonitas da história do futebol.

1992-93: A Umbro produziu essa camisa, bem ao estilo dos anos 90, que foi utilizada por Paul Gascoigne em sua passagem pela capital italiana. As lesões impediram que o craque inglês tivesse uma boa sequência dentro de campo, mas pelo menos bem vestido ele estava.

1999-2000: O ano de centenário foi de muito sucesso para a Lazio dentro de campo, com os títulos da Serie A, da Coppa Italia e da Supercopa Europeia. Para celebrar os 100 anos do time mais antigo de Roma, a Puma lançou uma camisa especial, branca, com uma faixa celeste e escudo comemorativo. Com o marketing esportivo dando seus primeiros passos, a camisa foi um sucesso de vendas: 140 mil unidades vendidas, boa parte das quais fora do território italiano. Certamente quem comprou tem muito bom gosto e guarda essa raridade até hoje.

2 pensamentos em “As camisas mais arrebatadoras de Roma e Lazio”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *