Cabelos que encantaram (ou não) o futebol mundial

O futebol tem um lado cômico fortíssimo. Além de proporcionar vários episódios hilários, o esporte ainda tem sido vitrine para que atletas alcancem a fama por meios, digamos, questionáveis. Quem nunca fez uma gracinha no cabelo para jogar bola? Estes 10 caras que escolhemos são referências no assunto.

A pedido do leitor e amigo Vitor Camargo, do Two Minute Warning, fazemos um exercício sempre divertido. Construir uma lista com jogadores que se enquadram no perfil de cabelos selvagens. Como são milhares de candidatos, ficamos com os menos óbvios.

Radja Nainggolan

Quem em sã consciência faz um moicano em duas cores e depois aplica chuquinhas estilizadas em cima? De longe, parece que Nainggolan colou uma fila de passarinhos na cabeça. O pior é que o belga entende de penteados controversos. Toda semana aparece com um estilo diferente, isso quando não usa um desenho de bola de couro no telhado. Esse foi o mais trágico. Aliás, não é só ele que adora inovar no penteado dentro da família. A sua irmã, Riana, também é adepta de uma revolução capilar.

Pierre-Emerick Aubameyang

O moicano parcial que abre o texto não é o pior que Aubameyang já fez com o próprio cabelo. Ele está sempre se reinventando e agora a moda é fazer desenhos ou escrever coisas nas têmporas. Quando não exibe estrelas, Pierre traz seu número (17) ou a sigla do Borussia Dortmund na cabeça. Como as grandes empresas ainda não exploraram os penteados em ações de marketing, não sabemos.

Taribo West

Apesar da lista tentar não ser óbvia, seria um crime não colocar Taribo West neste post. Ao longo de sua carreira, o nigeriano experimentou várias formas diferentes de penteado, mas quase sempre com as inefáveis chuquinhas, colocadas em uma ilha de cabelo colorido no topo de sua careca. Fantástico e único. Contamos a história dele aqui no site, semana passada.

Abel Xavier

Esse é um cara que entendeu bem o conceito de chocar a sociedade com cabelos gritantes. O português Abel Xavier poderia entrar no post com vários penteados diferentes, mas este aí é o seu ingresso, essa mistura maravilhosa de Ana Maria Braga com Prince. 10/10.

Paul Pogba

Os caras andam fazendo tanta palhaçada no cabelo, que coisas como essa aí de Pogba estão ficando comuns. O combo moicano tingido + desenho de oncinha é pra acabar. Ao menos Pogba é um jogador de classe mundial, que pode direcionar a atenção do seu cabelo para a bola nos seus pés.

Gervinho

Só pode ser peruca. A “cabereca” de Gervinho é uma das marcas da irreverência do povo africano. Impressiona mesmo a total ausência de fios de cabelo na faixa central da cabeça do atacante marfinense. Mais um pouco, e a cabeleira implantada começaria da nuca. Uma testa de respeito, sem dúvidas.

Stephan El-Shaarawy

Certamente estamos diante de uma aposta perdida. Só isso explica o cabelaço rebelde do Faraó El-Shaarawy. Nos tempos de Milan o garoto ostentava um moicano com um risco bizarro que ia até a nuca. Outra probabilidade é que o hair stylist do jovem teria espirrado durante o corte, cometendo o erro. Para fingir que foi proposital e dar alguma coerência à obra, estendeu o risco até a parte de trás da cabeça de Stephan. Mesmo assim, ainda está bem mal explicado.

Carlos Tévez

Pedimos perdão pela imagem forte, mas Tévez tinha que entrar nessa lista em razão do seu penteado mal-acabado. Não são trancinhas, é um trabalho incompleto ou uma tentativa de inventar um estilo novo colocando a cabeça em uma grill caseira. Nunca saberemos.

Sebastián Velázquez

Às vezes, quando nos chocamos demais com alguma coisa, é melhor não dizer nada. Nos resta apenas sentir. Este é o registro de Sebastián Velázquez, do Real Monarchs, da USL americana. Na foto, ele ainda defendia o Real Salt Lake. São muitas referências possíveis no mesmo cabelo, fica até difícil compreender todas. Em um olhar mais atento, é possível perceber Neymar, Cristiano Ronaldo e Roberto Baggio. O problema é que são mundos muito diferentes…

Pepe

Irreconhecível, não? Nesta foto, é possível ver o zagueiro madridista Pepe com um penteado pra lá de esquisito. No caso, foi usada uma técnica rudimentar de rastafári com gel, tudo isso feito enquanto o defensor estava de ponta-cabeça no salão. O resultado é uma medusa. Parabéns, Pepe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *