As camisas mais bacanas de Colônia e Borussia Mönchengladbach

Clássico alemão deste sábado reúne duas potências do futebol local na década de 1970. O passado manda lembranças dos tempos de grandeza de Colônia e Borussia Mönchengladbach. Da nossa parte, resta escolher as camisas mais bacanas dos dois rivais.

Colônia

1979-80: Feito pela Erima, este uniforme tinha variações no mesmo desenho em branco e vermelho. Optamos por abrir a lista com o uniforme visitante, em vermelho. Quem veste é Tony Woodcock, atacante inglês campeão europeu em 1979 com duas boas passagens pelo Colônia.

1990-91: Olha aí quem é. Thomas Hässler, minicraque alemão que fez muito sucesso na década de 1990. Essa camisa é um pouco mais ousada, já que faz parte de um período bem extravagante das fabricantes. A Puma assina esse desenho com um logo da Samsung bem antigão. É tosca, mas é legal, vai?

1995-96: Outra da Puma. Seguindo os modelos da marca naqueles tempos, a camisa branca ganhou detalhes estilizados nas mangas, bem legais. O craque do time era o veterano Anton Polster, goleador austríaco.

1998-99: Fechando a década de 1990 com classe, a Puma fez esta camisa aqui, que também é um modelo bem usado por seleções naquele período. O logo da Ford dá uma imponência à camisa, é bem interessante.

2015-16: De volta ao clube, a Erima caprichou nos uniformes desde a sua segunda passagem. O grande exemplo é o uniforme de 2015-16, com muita simplicidade e uma gola em vermelho, com botão. Animal. A fabricante só erra nas camisas especiais que desenha para os Bodes, mas talvez a bizarrice seja intencional, não?

Borussia M’Gladbach

1976-77: Entre as várias vezes que foi campeão alemão na década de 1970, o Borussia Mönchengladbach estava bem vestido. Esta camisa da Puma, por exemplo, é extremamente elegante e traz as cores dos Potros ao longo da manga. Na foto, Jupp Heynckes e Berti Vogts, dois monstros do futebol alemão.

1972-73: Na mesma década, tivemos este ícone para a história do clube germânico. O Gladbach era liderado pelo grande Günter Netzer e peitava o Bayern pelo domínio da Bundesliga. Com esta camisa aí, pelo menos visualmente, os caras estavam no topo.

1994-95: Pulamos para a década de 1990, que traz pouquíssimas alegrias para os Potros. A Asics encheu a mão para fazer um desenho com a cara e a agressividade dos anos 90. O resultado foi esta peça aí, que parece trazer remendos em verde e preto. Tempos em que Martin Dahlin comia a bola no ataque. O legal é que essa linha tem uma versão em verde/preto/branco que é igualmente animal.

1996-97: Sabe quem é esse polacão aí? Stefan Effenberg, um dos grandes ídolos da história do Gladbach, referência no título da Copa da Alemanha em 1995. Esta camisa da Reebok, em especial, é uma releitura dos anos 1970, bem discreta e com a gola em preto. Chique demais.

2012-13: Desde que voltou a figurar entre os concorrentes no futebol alemão, o Gladbach ganhou belas camisas de visitante, quase sempre em verde ou preto. O melhor exemplo é esta camisa aqui, usada na Liga Europa de 2012-13. Impecável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *