Vivendo a Master Liga: O charme da segunda divisão francesa

Começamos um save no Lens para experimentar o charme e a simplicidade da segunda divisão francesa. E ao menos na primeira temporada, a empreitada não foi nem um pouco bem sucedida.

LEIA MAIS SOBRE A MASTER LIGA:

Aplicamos os conceitos de Zeman no PES 2017 e o resultado foi uma porcaria

Se tem uma coisa que é legal de se fazer com tempo disponível, essa coisa é começar uma saga na Master Liga. Semanas atrás, vocês devem ter lido aqui na TF sobre a tentativa de implantar um sistema “Zemanesco” na Atalanta do PES 2017 e como isso foi um desastre. Pois é, fiz algumas mudanças no meu jogo e o save acabou corrompendo. Não que eu tivesse intenção de continuar nele por muito tempo -perdendo todas as partidas-, mas foi um problema de dados que culminou na perda do arquivo.

Como já estava entediado do jogo, resolvi brincar adicionando 20 equipes clássicas no lugar da Bundesliga. Isso acabou bagunçando meus dados e eu tive de começar outra vez os saves da Master Liga. Daí então, para escrever o post com a saga aqui para o site, preferi escolher algum time que nunca havia utilizado antes. Tenho apreço especial pelos pequenos com um elenco modesto, o que explica a tendência por jogar com algum Banfield, um Atlético Tucumán, com um Novara, bem lado B. E não escolher nenhuma equipe colombiana ou da J-League me torturou um pouco. São muitas opções possíveis, você fica louco querendo usar todos. Contudo, não demorei a resolver a dúvida. Fui com o Lens na Ligue 2.

Espero que nenhum torcedor do Lens se revolte, mas a verdade é que o elenco é ridículo de ruim. Não à toa estão na segunda divisão francesa. Mas alguém precisa jogar com esses times, então acabo me interessando pela missão de acertar o plantel e conquistar algo no PES. O desafio foi mais complicado do que eu esperava. Primeiro, pela ausência de qualquer jogador que chame a atenção. Segundo, porque é super complicado trabalhar com um plantel que não está entrosado.

No PES 2016, me lembro como era complicado mexer demais em uma formação e perder a química, aquele escudo no canto superior direito da sua escalação. Deixei basicamente a mesma espinha dorsal e devo ter trocado apenas um ou dois. O Lens cambaleou demais e estava sempre em quinto, sexto. Eu só consegui vencer depois do sétimo jogo. Era visível a fragilidade dos atletas, nenhum deles era acima da média e a melhora foi lenta, bem lenta.

A estratégia

Christian López: joga nele que é gol

Pude notar também que Christian López seria meu goleador na Master Liga. Bom cabeceador e finalizador, tem como grande defeito a lentidão e a incapacidade de driblar, obstáculos que acabei superando ao alterar a forma de jogar. E então, a mecânica do meu Lens passou a ser simples. Ficar ao máximo com a bola no pé, evitar lançamentos longos da defesa e confrontos no mano a mano, priorizar cruzamentos na área (quatro gols a cada cinco jogos desse jeito) e afastar o perigo na base do balão. Em suma: tentar não dar a bola ao adversário, porque os homens de retaguarda eram lentos demais para recompor.

Quando você não tem boas peças, é preciso fazer o arroz com feijão. A melhor forma de melhorar o entrosamento da equipe é acionando todos os atletas com passes curtos e sem improvisar posições. A gente joga feio mesmo. É sempre a mesma trama: bola na área, cabeçada, corrida até a linha de fundo. Lembra muito os times de Joel Santana em loop eterno. Enquanto isso der certo, me serve. Não dá para inventar nada com o material humano que tenho à disposição.

A minha experiência começou com um 4-2-2-2 utilizando López e Erasmus na frente. A dupla funcionou somente após o 10º jogo, quando entendi que Erasmus era ótimo nas arrancadas e nas finalizações dentro da área. Entretanto, tive de vende-lo na janela de inverno para somar um pouco mais de orçamento para transferências. Sem grana para contratar, fui obrigado a apostar em caras sem clube ou fim de contrato.

Meu goleiro, Douchez, foi um tremendo de um frangueiro. Por culpa dele, perdi por volta de cinco jogos. Também negociei sua saída no segundo semestre para trazer Paul Nardi, reserva esquecido pelo Monaco. O jovem é capaz de grandes defesas, mas não é nenhum monstro da posição. Serve para a proposta.

A minha linha defensiva vinha com os laterais Lala e Opare e os beques Fofana e Cvetinovic (que por sinal é meu capitão). No meio, escalei Bostock e Koukou como volantes, Autret e Klonaridis nas alas e Erasmus (Gérard) e López no ataque. Com a venda de Erasmus, improvisei Gerard como meia armador, na função de camisa 10. Deu certo, pois ele é driblador e chuta bem de longa distância.

Obviamente, preciso observar que os confrontos eram de péssimo nível técnico, mas em razão do tempo de jogo ser de apenas 6 minutos, havia alguma emoção. Só estive em um empate por 0-0.

Infelizmente não deu

Bostock marca um jogador do Tours durante a Ligue 2. A equipe celeste foi um dos meus carrascos na Master Liga

Algumas partidas foram particularmente irritantes. Contra o Tours, perdi no turno e returno. O mesmo aconteceu contra Stade Reims e Gazélec Ajaccio. Eu sempre estive pelo menos 10 pontos atrás dos líderes (por acaso o Reims) e distante da segunda vaga de acesso à Ligue 1. Restando cinco rodadas para o fim, aos trancos e barrancos, vi a promoção a apenas três pontos de distância. Era hora de levar o Lens à elite, pensei.

Mesmo curto, o elenco rendia. O complicado foi atuar sempre com o mesmo time, sem substituições, durante pelo menos 11 jogos seguidos. Por sorte, não tive lesões ou suspensões. A sequência era: Orleans, Brest, Nîmes, Gazélec Ajaccio e Laval. Todavia, perdi os quatro primeiros e fiquei sem chances de subir. Até simulei a partida contra o Laval, por não ter mais nenhum interesse em jogar apenas para cumprir tabela. Fui condenado a permanecer mais um ano na Ligue 2. Na Copa da França, o Lens foi eliminado logo de cara pelo Bastia levando um gol crucial nos acréscimos da segunda etapa. Um daqueles momentos em que dá vontade atirar o controle na parede.

Existem duas formas de se lidar com essa frustração: a primeira e óbvia é começar outro save. A segunda é melhorar o que estava sendo construído e tentar de novo com o elenco amadurecido e reforçado. Optei pela segunda. Sabendo que muitos jogadores iriam “renascer”, trouxe caras que se aposentaram e reapareceram no jogo com 16, 17 anos. É o caso do goleiro Carrasso, dos meias Pedretti, Balmont, Cohade e Amalfitano, além de Adebayor, que estava sabe-se lá onde na vida real. Não gastei nada com contratações e ainda trouxe outros free agents como Wilder Guisao e Te Vrede.

Sabendo que alterar demais a formação titular poderia me trazer problemas, troquei aos poucos meus jogadores. Vendi Klonaridis e coloquei Balmont na sua vaga. Deu certo, pois o carequinha é incansável na marcação e também chega bem ao ataque. Agora parece que vamos subir, porque nas cinco primeiras rodadas, foram quatro vitórias e um empate (na estreia, contra o Orleans). Tomei apenas um gol. Sempre no sufoco, mas vencendo, que é o que importa. Já é algo melhor do que a tortuosa campanha de 2016-17.

Difícil é arrumar tempo para jogar as próximas temporadas. Mas aos poucos a saga continua aqui no site. Esse é só o começo.

5 pensamentos em “Vivendo a Master Liga: O charme da segunda divisão francesa”

  1. maneiro…sou um jogador de FIFA, pelo menos nas plataformas atuais…essa questão dos times não licenciados no PES de nova geração me irrita mto…e me irrita mais ainda ficar baixando trocentos patchs pra ajeitar o game…o bom do modo carreira no fifa atual é q vc pode fazer treinos com esse pernas de pau e melhorar mto as estatísticas deles na reta final da temporada…mas sou fã incondicional do pro Evolution Soccer da era ps1/ps2…tão fã que até jogo jogo o pes 2008 no ps2 e psp…e consegui ser sagaz o suficiente pra criar (na raça) minha própria liga de jogadores clássicos, com 32 times (sorteados com base em trocentos critérios), acesso e descenso, copa nacional(mata-mata) e champions league (grupos)…dos quais compartilho com o colega os elencos dos 4 primeiros colocados no meu ‘ranking geral’ de pontos (vai desculpando os nomes toscos e comentários nuam mto embasados sobre cada atleta.

    ATOLA JORGE FC
    GOL-COUPET – Dono do gol do Lyon/FRA durante anos e titular da França na Eurocopa de 2008.
    GOL-PREU’DOMME – Um dos maiores goleiros da história. Fez uma copa espetacular com a Bélgica em 1994.
    LATD-DE LA CRUZ – Lateral da seleção equatoriana de 1995 a 2007.
    LATE-WAYNE BRIDGE – Lateral da Inglaterra nos anos 90/00. Ficou famoso por que sua patroa lhe chifrou com o zagueiro Terry.
    ZAG-GABRI MILITO – Jogou no Barcelona mas teve a carreira atrapalhada por lesões, se aposentando com apenas 31 anos.
    ZAG-GALVAN – Zagueiro campeão do mundo com a argentina em 1978.
    ZAG-KALTZ – Lateral da Alemanha nos anos 70/80. Ídolo do Hamburgo-ALE.
    ZAG-BATTISTON – 3 copas pela França (78/82/86). Apagou e perdeu 2 dentes depois de levar uma voadora do alemão Schumacher em 82.
    VOL-PAULO SOUSA – Volante bom de bola, passou por Juventus, Inter de Milão e Benfica. Hoje é treinador da fiorentina-ITA.
    VOL-RAMELOW – Grosso Zagueiro/Volante que fez parte de seleção alemã que perdeu a final da copa de 2002 para o brasil
    VOL/MEI-GUTI – Ídolo do Real Madri, clube onde foi revelado e jogou de 1995 a 2010.
    MEI/ATA-RIVALDO – Melhor jogador do mundo em 2002. Jogou até os 43 anos de idade, se aposentando em 2015.
    MEI-KARPIN – Ídolo do Spartak de Moscou e grande nome da seleção Russa nos anos 90/2000
    MEI-SOLARI – Reserva de luxo e espécie de 12º do Real Madri e da Inter de Milão nos anos 90 e 2000.
    MEI-GINOLA – Ídolo do Newcastle e do Everton nos anos 90. Defendeu a seleção francesa nos anos 90.
    MEI-TIGANA – Um dos maiores zagueiros/volantes de história da seleção francesa.
    ATA-SUKER – Artilheiro da copa de 1998 pela Croácia. Jogou também no Arsenal e no Real Madri.
    ATA-ROY MAKAAY – Holandês que fez gols a rodo pelo La Coruña nos anos 90, sendo contratado na sequencia pelo Bayern de Munich
    ATA-AMOROSO – Único brasileiro que conseguiu ser artilheiro dos campeonatos brasileiro, italiano e alemão. Jogava demais.
    ATA-GERALD ASAMOAH – Ganes naturalizado alemão que jogou as copas de 2002 e 2006 pela Alemanha. Truculento e grosso pra K7.
    ATA-TOMASSON – referência do ataque dinamarquês no fim dos anos 90 e durante toda a década de 2000.
    ATA-BUTRAGUENO – “O abutre”. Ídolo do Real Madri. Meteu 4 gols num único jogo pela Espanha contra a Dinamarca na copa de 86.

    SACI DE PATINETE
    GOL-KALAC
    GOL-PERUZZI – Titular da Italia na euro 96, devia ter sido titular também na Copa de 98 e na Euro 2002. Perdeu ambas por lesão
    LATE-COCO
    LATE-JANKULOVSKI
    ZAG-BABAYARO
    ZAG-BOSSIS
    ZAG-STAM
    ZAG-LUIS PEREIRA
    VOL-TACCHINARDI
    VOL/MEI-MANICHE
    VOL-BUTT
    MEI-ALEX
    MEI-SAVICEVIC
    MEI/ZAG-GULLIT
    MEI-JORGENSEN
    MEI-BRYAN ROBSON
    ATA-HERNAN CRESPO – um fazedor de gols argentino. Chegou a ser o jogador mais caro do mundo quando foi pra lazio em 2001
    ATA-MILOSEVIC
    ATA-RENSENBRINK
    ATA-SAND
    ATA-DUGARRY – O parça de Zinedine Zidane
    ATA-WEAH

    TAPA NA GALINHA
    GOL-TOLDO
    GOL-CANIZARES
    LATE-BREHME
    LATD/ZAG-PANUCCI
    ZAG-SUUBIER
    ZAG/VOLTUDOR
    ZAG-BORDON
    ZAG/LATD-SIMIC
    VOL-BARAJA
    VOL/MEI-FALCAO – ídolo do inter e da roma. comentarista da globo por anos e hj tenta retomar a carreira de técnico, ainda sem sucesso.
    MEI/VOL-ARDILES
    MEI/VOL-SHINJI ONO
    MEI-ANTOGNONI
    MEI-ANDREAS MOLLER
    MEI/ATA-SHABANI NONDA
    MEI/ATA-GIULY
    ATA-ANELKA
    ATA-SCHILLACI
    ATA-OVERMARS – veloz e imparável atacante holandês que fazia o q qria pela linha de fundo
    ATA-RUMMENIGGE
    ATA-KEIZER
    ATA-HUGO SANCHEZ – maior jogador mexicano da história. 6 vezes artilheiro do cap. Espanhol (5 pelo real e 1 pelo atlético de madri)

    MTO CHIQUE PRA MORRER
    GOL-VAN BREUKELEN
    GOL-DUDEK
    LATE-SERGINHO
    LATD-AMOROS
    ZAG-PASSARELA – Capitão da argentina campeã do mundo em 78. Uma diarreia e maradona o impediram de ser titular tbm em 86
    ZAG-CUCIUFFO – Zagueiro campeão do mundo em 86. Morreu ao ser atingido por disparo acidental de sua espingarda.
    ZAG-METZELDER
    ZAG/LATE-PHIL NEVILLE
    VOL-DESCHAMPS – Volante francês dono da posição no time na década de 90. Hoje é o técnico da seleção.
    VOL-EDU (VOLANTE)
    VOL-MAKELELE
    MEI-OKOCHA – Meia nigeriano que tinha uma habilidade absurda, mas abusava de jogadas de efeito e infrutíferas.
    MEI-CLODOALDO
    MEI/VOL-PARK JI SUNG
    MEI-SCHOLL
    MEI/ATA-LUQUE (ESP)
    ATA-DEL PIERO – lenda da Juventus. Maior artilheiro da história do clube. Tbm é um grande cobrador de faltas.
    ATA-LINEKER
    ATA-GERD MULLER
    ATA-SAHA
    ATA-PELÉ – O atleta do século. Dispensa apresentações
    ATA-LES FERDINAND

  2. Excelente artigo Felipe. Acho bem interessante esses artigos sobre a Masterliga, acho que fogem do lugar comum dos outros sites. Eu só jogo a Masterliga offline e só uso a escalação fake. Acho que assim o realismo é maior, pois o início é sempre mais complicado, demorando mais pra achar uma boa formação e conseguir contratar jogadores de verdade.Sinto falta também de versões anteriores que começávamos na segunda divisão da PES League, o desafio era mais realista.Na minha Master editei um time e montei o Marcílio Dias, time daqui de Itajaí-SC.Estamos na segunda temporada,ganhamos a copa do brasil e estamos brigando por uma vaga na libertadores mas já sem chances de ser campeão brasileiro.Tirando a lenda Allejo que salva o time, os outros jogadores levam tempo pra evoluírem.A master offline pra mim é o melhor modo do jogo,pois como estou na casa dos 30 e poucos, nunca me acostumei com multi-player,pois cresci jogando jogos single player.

    1. Grande Nilson! Obrigado pelo comentário.

      Eu particularmente só não jogo mais com o time inicial da ML porque tiraram Minanda, Castolo, Ordaz e aquela turma. No mais, sempre escolho times fracos para o início, pois isso dificulta da mesma maneira uma boa campanha.

      Compartilhe no comentário a sua saga em detalhes!

      Abração!

  3. No momento na minha saga da Master a principal dúvida é sobre o Allejo (seu nome aparece como A. Lobato), pois é o pilar do time e pela sua idade de 36 está quase se aposentando.Já estou na busca de algum substituto.Eu sempre uso a estratégia de investimento em duas pontas do time. A primeira é o goleiro, achar alguem razoável e dentro do orçamento limitado no começo.(Pois um frangueiro acaba com o time uhauahuah). A segunda ponta é o atacante, nesse caso o Allejo faz super bem esse papel.Minha formação é sempre 4-3-3, são sempre dois zagueiros fortes e altos pra combater o jogo aéreo, dois laterais rápidos apoiando o ataque, um volante caneludo mais defensivo e outro mais habilidoso, um meia atacante rápido, dois pontas rápidos e um centroavante forte.Uso muito o anti-jogo contra o pc;fazendo faltas e usando a formação retranca.Principalmente na primeira temporada que é a mais difícil. Uso muito a formação estilo Handebol também, ao perderem a bola o time todo volta. A partir da segunda temporada as coisas tendem a melhorar , pois com a evolução dos jogadores as bolas chegam melhores pro atacante matador, que também é usado de isca puxando a marcação e deixando algum volante ou meia livre para chutar de fora da área. Os pontas são usados mais pra ajudar os laterais a fazerem os cruzamentos pros gols de cabeça e dar as assistências pro atacante.No momento estou nos últimos jogos da segunda temporada do brasileirão,brigando pra manter a quarta posição e conseguir uma vaga na libertadores; aumentando assim o orçamento do time pra próxima temporada.Meu único título suado até o momento foi o da Copa do brasil.No momento faltam uns 4 jogos pra terminar a temporada e inciar a busca por novos jogadores.Sempre busco jogadores com o perfil de jovem promessas dentro do orçamento e das características do time,ou veteranos sem clube pra virem a custo zero, ou jogadores disponíveis a virem por empréstimo pra um time pequeno. O planejamento pra próxima temporada é conseguir o bi na copa do brasil, ganhar o brasileiro pela primeira vez e chegar o mais longe possível na libertadores.Ressaltando o detalhe que sou péssimo jogador(hahaaha),inclusive aberto a dicas para triunfar na liga master, essa é a minha saga no momento auhuhauah.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *