Essandoh, o herói breve contratado por um anúncio nos classificados

Atacante norte-irlandês foi jogar pelo Wycombe Wanderers por meio de um anúncio na TV. Contratado para uma partida específica na Copa da Inglaterra, Roy Essandoh fez o gol que eliminou o Leicester da competição, em 2001, em uma história inesquecível do torneio.

LEIA MAIS: O momento fugaz de glória de Jimmy Glass

O torneio mais antigo do mundo não tem só o charme de reunir clubes da elite e amadores em busca da taça. Em 2001, o Leicester foi eliminado nas quartas de final da Copa da Inglaterra por uma zebra, sendo coadjuvante de uma trama memorável. Mas para que cheguemos até o desfecho e as razões para o breve heroísmo de Roy Essandoh, é preciso um pouco de contexto.

Primeiramente, temos o Wycombe Wanderers, uma equipe sem tradição e que ocupa lugares medianos na última divisão profissional inglesa, a League Two. Na época, o clube era treinado por Lawrie Sanchez, que para os bons de memória, foi o autor do gol do título do Wimbledon na final da mesma Copa da Inglaterra contra o Liverpool, em 1988. Esta é a maior façanha que a competição já produziu. (Link ao fim do post)

Aí temos o atacante Roy Essandoh, de 25 anos, um norte-irlandês que estava sem clube após defender o Rushden & Diamonds, equipe amadora da Inglaterra. Roy começou a carreira na Escócia, pelo Motherwell nos anos 90, mas não obteve sucesso e rodou por outros países como a Áustria e a Finlândia. Sem dinheiro em terras finlandesas, foi obrigado a voltar para o Reino Unido e fez alguns jogos de graça antes de experimentar do desemprego.

Por último, temos o Ceefax, um sistema de teletexto desenvolvido pela BBC que emitia informações como notícias e classificados em canais específicos da frequência aberta em todo o Reino Unido. Os telespectadores sintonizavam estes canais e escolhiam várias formas de conteúdo, lembrando bastante a experiência de um jornal impresso na televisão. O sistema foi desativado em 2012.

Em 2001, o Leicester disputava a Premier League e fazia uma campanha de meio de tabela. Nas quartas de final, souberam que enfrentariam o azarão Wycombe Wanderers, da quarta divisão, que havia arrancado na competição desde a primeira fase, deixando Harrow Borough, Millwall, Grimsby Town, Wolverhampton e Wimbledon pelo caminho.

O problema é que o Wycombe estava com o elenco curto e o técnico Lawrie Sanchez tinha poucos atletas para o banco, a uma semana do confronto com o Leicester. A situação era tão desesperadora que se ele não arrumasse ninguém, o Wycombe seria eliminado da disputa por não ter jogadores suficientes. Eis que um anúncio no Ceefax resolveu o problema. A equipe de Buckinghamshire pedia urgentemente um atleta para o setor ofensivo que não tivesse ligações com outro clube ou atuado pela competição. É aí que entra Roy Essandoh.

“Wycombe Needs You”

Minutos depois de ver o anúncio, o agente de Roy Essandoh fez contato com os Wanderers para fechar negócio. O contrato seria curto, por duas semanas, e o novato ficaria no banco contra o Leicester. Mesmo sabendo que os Foxes eram favoritos, os caras do Wycombe não se intimidaram.

Em 10 de março de 2001, no estádio de Filbert Street (antiga casa do Leicester), o time da casa saiu perdendo por 1-0, mas buscou o empate. Um pênalti não marcado (uma bola na mão descarada) para o Wycombe levou Sanchez à loucura. Após protestos, o treinador foi expulso e viu em uma TV dos vestiários o que aconteceu nos minutos restantes.

Com poucos minutos em campo, Essandoh recebeu um passe de cabeça da esquerda e, sem marcação dentro da área, tocou para o fundo das redes, em uma testada que nem foi tão forte assim, mas serviu para vencer o arqueiro do Leicester. Foi o gol da vitória, 2-1 para o pequeno Wycombe, um dos “matadores de gigantes” que a imprensa inglesa adora. Muito embora o Leicester não fosse gigante, claro, mas estava três divisões acima do seu adversário, caracterizando uma bela de uma zebra.

O Wycombe apareceu para o mundo por sua grande façanha. Eles estavam nas semifinais contra o Liverpool, graças a Roy Essandoh, o homem que chegou por meio de um anúncio nos classificados da TV inglesa. Foi também o único gol dele pelo clube, em menos de 15 jogos. Ao fim da temporada, Essandoh foi dispensado. E os Wanderers não foram mais longe: eliminados pelos Reds por 2-1 nas semifinais, não puderam chegar mais perto do grande sonho de uma taça nacional.

Para Essandoh, a exposição absurda pelo gol do Leicester nunca mais se repetiu. Ele é lembrado por muitos como o protagonista da história mais bizarra e efêmera de um futebolista na Inglaterra. O centroavante ainda mudou de clube 15 vezes (nenhum que mereça menção, todos em ligas amadoras) antes de se aposentar, em 2012. Foi um raio de sorte que infelizmente não caiu duas vezes no mesmo lugar.

LEIA TAMBÉM: Especial Matadores de gigantes: A gangue de malucos do Wimbledon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *