Sexta das Camisas: 10 uniformes com patrocínios de governos ou estatais

grenal

Domingo é dia de eleições municipais por todo o Brasil e a “Sexta das Camisas” não poderia ficar de fora do movimento. Por causa disso, o tema da semana é de camisas que têm patrocínio de governos, empresas estatais ou alguma ligação com o poder. Então sem muita conversa, veja as candidatas, escolha a sua preferida e clique no “confirma”. (Brincadeira, mas se quiser falar a sua preferida nos comentários, fique à vontade, leitor).

Atlético de Madrid 2014/15, Nike

atletico

“Land of fire” (“A Terra do fogo”, em tradução). A frase acompanhava o nome do Azerbaijão, cujo Ministério do Turismo patrocinou os colchoneros por duas temporadas. A exposição do país na camisa do Atlético fazia parte de uma estratégia do país de usar o esporte como uma arma de diplomacia. Desde então, os azerbaijanos receberam os Jogos Europeus de 2015 e o concurso final do Eurovision, além de ganharem um grand prix na Fórmula 1 e jogos da Eurocopa de 2020.

Barcelona 2011/12, Nike

david-villa

Depois de passar muito tempo sem patrocínio na camisa, até estampando o símbolo da Unicef, o Barcelona recebeu uma marca pela primeira vez em 2011/12. E foi polêmico, já que o nome era a Qatar Foundation, uma organização educacional que, apesar de ser privada em sua maioria, recebe suporte e recursos do governo catariano.

Real Madrid 2014/15, Adidas

james

Vários grandes clubes do mundo, como o Real Madrid e o Arsenal, estampam o nome da Emirates, empresa aérea dos Emirados Árabes Unidos, em suas camisas. Nominalmente, a companhia é controlada pela Corporação de Investimento de Dubai, mas todo o dinheiro deste fundo vem do governo federal dos EAU.

Zenit 2016/17, Nike

zenit

Time russo de mais destaque no cenário europeu nos últimos anos, o Zenit estampa em sua camisa a marca da companhia de energia Gazprom, que é dona do time desde dezembro de 2005. A empresa ainda é controlada em sua maioria pelo governo russo, que detém pouco mais de 50% das ações. Além do Zenit, a Gazprom ainda patrocina o Schalke 04 e as competições da Fifa.

Cardiff City 2011/12, Puma

Soccer - Carling Cup - Final - Cardiff City v Liverpool - Wembley Stadium

Em 2010, um grupo da Malásia liderado por Vincent Tan comprou o Cardiff City, de Gales. Não demorou muito para que um patrocínio do país asiático. Na última grande decisão da qual o clube participou, a Copa da Liga de 2012, a camisa dos Bluebirds mostrava o nome do país escrito em inglês. Atualmente, um pequeno “visite” acompanha a marca no uniforme.

Sheffield United 2009, Macron

sheffieldunited

Atualmente, o Ministério de Turismo de Malta anuncia apenas no uniforme de treino do United, mas a relação é bem mais longa. Entre o fim da última década e o início desta, inclusive na comemoração de 120 anos do clube, era o país que patrocinava as camisetas dos Blades. Nos últimos anos, a equipe foi algumas vezes ao destino paradisíaco para fazer pré-temporada e amistosos.

Metz 2016/17, Nike

metz

Recém-promovido à primeira divisão francesa, o Metz esteve envolvido em uma polêmica. Isso porque o clube recebeu uma oferta de patrocínio do Chade, um dos países mais pobres de todo o mundo. Segundo informações de jornais franceses, o governo chadiano recebeu uma proposta de uma fundação pan-africana, que fez empresas locais pagarem pelo anúncio. Por outro lado, o chefe da associação esportiva do país, Hissene Ngaro, disse que o acordo era uma piada.

River Plate 2008, Adidas

lfd4w75

A Petrobrás foi a principal patrocinadora do Flamengo por muito tempo, algo que ficou marcado na memória dos torcedores. Mas preferimos destacar a aparição da empresa estatal brasileira no país vizinho, estampando sua marca no uniforme do River Plate, inclusive enquanto a equipe lutava contra o rebaixamento, que foi inevitável.

Corinthians 2015, Nike

CAMPEONATO BRASILEIRO 2015 CORINTHIANS X SANTOS

Aqui no Brasil, uma outra empresa estatal também deu as caras em vários uniformes nos últimos anos. Em uma manobra que começou no Corinthians, a Caixa se estendeu por diversas equipes do país, como Flamengo, Cruzeiro e Atlético Mineiro. Atualmente, o banco patrocina mais de dez clubes, incluindo representantes da Série B, como o CRB, e da C, com o América de Natal.

Grêmio e Internacional 2016, Umbro e Nike

grenal

O primeiro banco estatal a patrocinar times de futebol no Brasil parabeniza o segundo. É assim que fazem no Sul, né? A dupla Gre-Nal tem o banco do estado do Rio Grande do Sul como parceiro desde 2001. E continuará assim por pelo menos mais três temporadas, já que as partes envolvidas assinaram um novo acordo de quatro anos em 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *