Por que a “Classe de 1992” ainda é a melhor geração de jovens ingleses

Classe de 1992 United

Equipe juvenil do Manchester United ganhou o mundo ao subir para o profissional. Turma de 1992 é aclamada pelo talento de seus graduados e até virou filme. Mas será que eles são tudo isso mesmo?

Na foto que abre o texto, podemos ver os jovens Ryan Giggs, Nicky Butt, David Beckham, Gary Neville, Phil Neville, Paul Scholes e outro rapaz que infelizmente ninguém se lembra. Todos estes garotos saíram do mesmo time, no mesmo ano. Você consegue se lembrar de outra geração tão marcante saída da base?

Para todos os efeitos, discutir a “Classe de 1992” é necessário. Trata-se de um grupo de jogadores que tomaram conta do time titular do United na década de 1990 e que conquistaram vários títulos sob o comando de Alex Ferguson. Podemos até chegar ao consenso de que um ou outro foram puxados pelo talento dos colegas (exemplo dos Neville), mas é difícil lembrar de um time que tenha revelado tantas promessas em curto espaço de tempo.

A trajetória deles começou na vitória da Copa Juvenil da Inglaterra contra o Crystal Palace, em 1992. Daí em diante, Giggs e os colegas foram ganhando projeção dentro do clube. Do profissional ao sucesso gigantesco com as seis conquistas do Campeonato Inglês (estas com a turma completa), da Liga dos Campeões em 1999, da Copa da Inglaterra em 1998 e 99 e do Mundial em 1999. De repente, Beckham, Scholes e Gary Neville estavam entre os titulares da seleção inglesa.

O próprio Alex Ferguson conta que quando pensou em lançar alguns dos jovens campeões da base ao time principal, resolveu consultar o então capitão Bryan Robson. Os dois decidiram fazer um jogo-treino dos profissionais contra a meninada. Para a surpresa dos veteranos, os garotos venceram e provaram seu valor.

Reunião de 2011 do elenco formado em 1992 pelo United
Reunião de 2011 do elenco formado em 1992 pelo United

Indiscutíveis mesmo são Giggs, Beckham e Scholes. Três atletas de muita classe e carreiras invejáveis no esporte. Giggs representa a longevidade de um craque que saiu deste time de 1992 e só se aposentou (em alto nível, diga-se) em 2014, com 13 títulos ingleses e duas taças europeias. Ryan só não obteve sucesso pela seleção porque Gales era uma seleção fraquíssima até a ascensão de Gareth Bale.

Beckham se notabilizou como grande armador, capitão da Inglaterra e batedor de faltas, mas naturalmente é mais famoso por ser uma estrela, garoto-propaganda, entre outras atividades extra-campo. Jogou até 2003 no United e depois em gigantes como Real Madrid, Milan e o Paris Saint-Germain até 2013. Tem títulos nacionais na Inglaterra, na Espanha, na França e nos Estados Unidos pelo Los Angeles Galaxy.

Scholes não fica atrás e assim como Giggs, dedicou sua carreira de forma integral ao United, parando apenas em 2013. Esteve em duas Copas do Mundo e duas Eurocopas com a Inglaterra. É lembrado como um dos últimos grandes meias ingleses.

Gary Neville, que parou em 2011, tem um currículo invejável. Foi capitão em seus anos finais de carreira, levantou oito vezes o título inglês, duas vezes a Liga dos Campeões e somou mais de 600 partidas com a camisa dos Red Devils. Seu irmão, Phil, não teve a mesma sorte e saiu de Manchester em 2005 para atuar pelo Everton, se aposentando em 2013 discretamente.

Sobra então Butt, um volante com grande poder de marcação e que também deixou seu nome como titular na virada dos anos 1990 para os anos 2000, época em que o United de Ferguson varreu o país e o continente. Ele também caiu em desprestígio a partir de 2004, sendo negociado com o Newcastle, Birmingham e eventualmente indo jogar no futebol chinês pelo South China. Se aposentou em 2011.

DAVID BECKHAM

Seis jogadores que cresceram juntos e seguiram caminhos distintos nos anos 2000. Uns caminharam para a história, enquanto o resto caiu em esquecimento. Isso, claro, para não falar dos quase anônimos que ficaram pelo caminho e não tiveram sucesso no esporte.

A classe de 1992 pode até não ter feito todos os seus integrantes se transformarem em gênios do futebol, mas sem dúvida nenhuma lançou vencedores ao nível profissional. É claro que você também pode achar que Giggs, Beckham e Scholes não são tudo isso, mas simplesmente não se pode negar que eles foram importantíssimos para a soberania do United na Inglaterra durante o auge de suas vidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *