Quem é Lars Elstrup, o peladão que roubou a cena na Dinamarca

Lars Elstrup

Lars Elstrup voltou ao noticiário esportivo na última sexta-feira, quando invadiu o gramado em uma partida do Dinamarquesão entre Randers e Silkeborg. Horas depois, o mundo descobriu que o peladão é um ex-jogador campeão da Euro 1992. Mas quem é este rapaz?

A história do dinamarquês Lars Elstrup é uma das mais bizarras que um jogador de futebol pode escrever. Ex-atacante com passagens por Feyenoord e Brondby, ele estava no elenco que surpreendeu o planeta com a conquista da Eurocopa em 1992.

Naquela competição, a Dinamarca havia caído desacreditada ainda nas Eliminatórias e chegou sem alarde para a disputa, já que a Iugoslávia sofreu uma sanção da Fifa e estava impedida de jogar torneios internacionais. Apesar de rachada pela briga entre os irmãos Laudrup e o técnico Richard Moller Nielsen, a “Dinamáquina” se reinventou após a genial geração de 1986 e formou um time valente para ganhar a Euro como zebra. Essa história vocês podem ver em detalhes no filme “Verão de 1992“, que está no Netflix em um retrato bastante fiel dos acontecimentos da época, sem romantizações excessivas.

Pois bem, voltamos para o senhor Elstrup. Lars, que iniciou a carreira como futebolista em 1981, somou anos de experiência por Randers, Brondby, Feyenoord, Odense e Luton Town, antes de encerrar a carreira em 1993, novamente atuando pelo Odense. Os dois anos finais de sua trajetória profissional foram excelentes, esportivamente falando: o atacante marcou 24 vezes neste período e estava consolidado como um dos melhores do país, tanto que mereceu uma convocação de Moller Nielsen para estar no grupo da Euro.

A Euro e a aposentadoria bizarra

Elstrup dinamarca

Naquela ocasião, o torneio foi realizado na Suécia e os dinamarqueses foram pegos de surpresa com a vaga aberta pela Uefa. O time vinha mal, havia perdido várias partidas contra equipes inferiores e não demonstrava muita garra. Entretanto, uma união repentina do elenco em torno do técnico permitiu que eles avançassem. Elstrup era um dos reservas, mas entrou contra a França, na última rodada, e marcou o gol que deu a primeira vitória aos escandinavos na Euro. Justamente o gol que eliminou os rivais e culminou na vaga para a semifinal.

Com a camisa 10 que deveria ter pertencido a Michael Laudrup, o craque renegado pelo treinador, Lars fez a sua parte quando foi chamado para o campo. Também participou do jogo semifinal contra a Holanda em um dramalhão que só acabou nas penalidades com a consagração de Schmeichel. Elstrup também converteu o seu chute naquela decisão por pênaltis.

A Dinamarca foi campeã ao neutralizar a Alemanha na final e fazer 2-0 no placar com gols de Jensen e Vilfort. Uma fábula que encantou o país e virou um belo filme, como já indicamos ali no começo do texto. Para Lars, a vida nunca mais foi a mesma. Ele entrou em uma espiral de loucura e atos ridículos depois que se envolveu com uma seita espiritual misteriosa. A experiência fez com que ele se aposentasse prematuramente aos 30 anos, em 1993. Desde então, ele declarava que estava decepcionando as pessoas que o cercavam pelo que construiu na vida.

A introspecção gerou efeitos inesperados no comportamento de Lars. Depois de deixar o futebol, ele aparecia frequentemente fazendo coisas bizarras como urinar em público. Seis anos depois de se juntar à seita, foi expulso por agredir uma criança com um soco. Os motivos não foram explicados. Em outro episódio inacreditável, o ex-atleta foi detido por tirar a roupa no meio da rua e realizar malabarismos com o próprio membro. Como ele fez isso, não sabemos, mas fica o registro. Antes de reaparecer na última sexta-feira, Lars teve prisão decretada por 60 dias.

“Pelado, pelado, nu com a mão no bolso”

Elstrup pelado

Alucinado, Lars invadiu o gramado completamente nu durante a partida entre Randers e Silkeborg, pela sétima rodada do Dinamarquês, na última sexta-feira, dia 26. O time da casa venceu por 1-0, mas o duelo só ganhou projeção mundial em virtude da intromissão do peladão Elstrup, uma lenda do futebol no seu país que infelizmente será mais lembrado por problemas psicológicos e a nudez do que necessariamente pelo que conquistou devidamente uniformizado entre 1981 e 1993.

Isso porque na década passada, ele publicou uma foto de nu artístico afirmando que havia se curado e ficaria longe dos holofotes da imprensa. Aparentemente ele mudou de ideia. Por via das dúvidas, o Randers impediu que o ex-futebolista compareça aos seus jogos durante cinco anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *