Eurocopa, dia 12: Os shows de McGovern e Perisic

Foto: Uefa
Foto: Uefa

Por Felipe Portes e Matheus Rocha

Alemanha faz o óbvio e vence a Irlanda do Norte para garantir a vaga na próxima fase. Polônia e Ucrânia fazem jogo medonho com vitória polonesa. Mas o legal mesmo veio do Grupo D, em que a Ivan Perisic e a Croácia ficaram com o primeiro lugar e a Turquia saiu do buraco e está perto da próxima fase.

Irlanda do Norte x Alemanha: McGovern, o Gordon Banks possível

Foto: Uefa
Foto: Uefa

Por Felipe Portes

Em um jogo completamente desnivelado, a Alemanha passou pela Irlanda do Norte pelo magro placar de 1-0, mas isso diz muito mais sobre os norte-irlandeses do que sobre os atuais tetracampeões mundiais. Durante os 90 minutos, o selecionado germânico promoveu um massacre à defesa adversária, mas um paredão se recusou a ser derrubado na honrosa atuação dos meninos alviverdes.

Michael McGovern, com seu uniforme marca-texto, impediu que a sua nação saísse de campo goleada. Mas não pense que os torcedores se abalaram. Muito pelo contrário. A cantoria não parou, a festa continuou ardendo nas arquibancadas do estádio do Parc des Princes. Depois da empolgante partida contra a Ucrânia, com placar de 2-0 para o selecionado norte-irlandês, o eufórico pessoal que veio de Belfast se manteve animado e barulhento para tentar intimidar os alemães.

O gol de Mario Gomez foi apenas um detalhe do jogo. Só foi possível exaltar a valentia dos mais fracos, que seguraram uma seleção tetracampeã mundial e temida por todos os cantos do planeta. “We’re not Brazil, we’re Norn Iron” e “Will Grigg’s on fire” entoaram a cantoria dos alegres irlandeses, que a julgar pelo humor, estavam vencendo de goleada os alemães.

A cada defesa de McGovern, o clima esquentava. E os minutos passavam lentamente, o técnico Michael O’Neill não cogitava chamar Will Grigg para o jogo. O grande ídolo que não jogou acompanhou tudo do banco. Antes do confronto, o zagueiro Hummels confessou que se divertiu muito com as brincadeiras a respeito do atacante que estava em chamas e que queria trocar de camisa com ele assim que o juiz apitasse pela última vez. No entanto, O’Neill foi teimoso e não realizou o sonho de milhões de pessoas, jogando um balde de água fria no incêndio do goleador do Wigan.

Somando apenas três pontos, a Irlanda do Norte se classificou para a próxima fase da Euro como um dos melhores terceiros, muito por causa do segundo gol contra a Ucrânia. Mesmo se a jornada acabasse aqui, quem veio de Belfast voltaria orgulhoso para casa, já que o time em momento nenhum se rendeu e jogou muito acima das limitações. Mas ainda veremos a torcida norte-irlandesa arrepiando um estádio pelo menos mais uma vez.

Aos alemães, a missão de reencontrar o melhor futebol na fase de mata-mata. Mas até agora, em três compromissos, a impressão deixada não foi boa.

Polônia x Ucrânia: Santo Pierogi, Batman!

Foto: Uefa
Foto: Uefa

Por Felipe Portes

A Polônia venceu a Ucrânia e também assegurou sua presença na próxima fase da Eurocopa. O placar foi magro, com apenas um gol de Błaszczykowski no segundo tempo. Quatro anos depois de sediarem a competição, as duas nações seguiram caminhos distintos. A Ucrânia perdeu todas as partidas, enquanto a Polônia venceu duas e empatou com a Alemanha, uma das favoritas.

Entretanto, como há muito pouco a se falar deste confronto entediante, vamos ser sinceros: é melhor dar uma receita de pierogi do que gastar parágrafos e mais parágrafos tentando retratar o que aconteceu no Vèlodrome. Mesmo porque, este duelo não foi interessante ou útil para o que se pode contar desta Euro no fim das contas. Sendo assim, vamos para a cozinha.

Como fazer um pierogi

pierogi

Ingredientes: 1 kg de farinha de trigo, 3 ovos, 3 colheres de azeite, 1 colher de sobremesa de sal, água fria até dar o ponto. 

Recheio: 1 kg de de ricota ou requeijão, 1 Kg de batatas, sal a gosto, cheiro verde a gosto. 

Como preparar a massa: Coloque numa bacia grande os ovos, a farinha e o azeite. Amasse muito bem, quando a massa estiver lisinha, abra como massa de pastel, usando rolo, uma garrafa limpa. Corte a massa com um copo, recheie a massa, feche passando um garfo nas bordas e cozinhe, em aproximadamente 2 litros de água fervente, por 5 minutinhos. Coloque por cima seu molho preferido, branco ou ao sugo.

E o recheio: Cozinhe as batatas, amasse bem com garfo ou passe no espremedor. Misture a ricota ou requeijão muito bem até ficar num ponto de creme. Acerte o sal, coloque o cheiro verde. Misture mais um pouco. Recheie a massa com essa mistura. E voilà.

Via Tudo Gostoso

Croácia x Espanha: O show de Ivan Perisic

ClgLzu8WYAIyi1y

Por Matheus Rocha

A Croácia entrou com um time misto contra a Espanha e tomou um gol logo no início. Parecia que a equipe teria que se contentar com a segunda ou a terceira posição do grupo, pegando um confronto mais difícil nas próximas fases. Mas esqueceram de avisar isso para alguém: Ivan Perisic.

O meia da Internazionale terminou a temporada muito bem e levou sua fase para a França, sendo o jogador mais perigoso da Croácia nos dois primeiros jogos, marcando uma vez contra a República Tcheca. E com a ausência de Luka Modric e um Ivan Rakitic menos presente, ele assumiu de vez o comando.

O primeiro gol dos croatas saiu quando Rakitic trouxe a bola para a esquerda, cortou Juanfran e cruzou com o pé ruim. Nikola Kalinic conseguiu um lindo desvio e empatou a partida em um dos últimos lances da etapa inicial.

A Espanha pressionou no segundo tempo e teve até um pênalti. Só que Daniel Subasic se adiantou bastante, ficou no meio do gol e espalmou a cobrança do capitão Sérgio Ramos. Pouco depois, surgiu um vídeo na internet em que parecia que Modric passava informações a Darijo Srna, que repassou ao goleiro.

Quando parecia que o jogo ficaria empatado, Perisic apareceu novamente. O meia avançou para a esquerda e, enquanto muita gente esperava um cruzamento, ele bateu para o gol direto e De Gea aceitou.

Com o resultado, a Croácia ficou com o primeiro lugar do grupo e foi para a chave mais tranquila da próxima fase, com os oponentes mais complicados sendo Gales e provavelmente a Bélgica. Enquanto isso, a Espanha terá que suar muito para conquistar a Euro novamente. O próximo adversário é a Itália e pode ser que venham Alemanha, França e Inglaterra.

República Tcheca x Turquia: História perto de se repetir oito anos depois

ClgNfZEWQAAE8iR

Por Matheus Rocha

Antes do jogo contra a Croácia, as televisões que transmitem a Euro mostraram bastante a improvável classificação dos turcos na edição 2008 do torneio, quando a equipe de Fatih Terim tomou gol aos 14 do segundo tempo da prorrogação, mas conseguiu empatar nos acréscimos e ganhar nos pênaltis. Mas praticamente ninguém se lembrou do que aconteceu na fase de grupos, contra a República Tcheca, algo que os turcos podem estar bem perto de repetir.

Em 2008, turcos e tchecos se enfrentaram na última rodada valendo classificação. Jan Koller e Jaroslav Plasil colocaram os eslavos perto da próxima fase, mas a Turquia conseguiu três gols nos últimos 15 minutos, com Arda Turan e Nihat (duas vezes), e garantiu a vaga nas quartas de final, onde aconteceu a virada história contra a Croácia.

Oito anos se passaram e os turcos chegaram à última rodada da fase de grupos quase sem chances de se classificar. Precisariam de uma vitória e bom saldo para tentar passar com um dos quatro melhores terceiros, uma mudança da atual edição da Euro.

A República Tcheca atacou bastante no primeiro tempo e até colocou uma bola na trave, mas quem abriu o placar foram os turcos. Emre Mor fez uma bela jogada pela direita e colocou no pé de Burak Yilmaz, que fez a finalização até parecer fácil.

No segundo tempo, a defesa tcheca não conseguiu lidar com uma cobrança de falta na área e Ozan Tufan marcou o segundo. Sim, o mesmo Tufan que foi massacrado por muita gente por arrumar seu cabelo durante o lance que resultou no golaço de Luka Modric na primeira partida do grupo.

Agora os turcos esperam as definições dos dois últimos grupos com muita esperança, já que teriam que ser desbancados por duas seleções.

0 pensamento em “Eurocopa, dia 12: Os shows de McGovern e Perisic”

  1. Agora vai começar o mata-mata e o chaveamento está incrível. Vamos ver quem tem sangue-frio. Não aponto um favoritaço, mas vamos lá: Espanha e Alemanha pelas últimas conquistas. Só por isso…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *