Copa América, dia 15: Deus abençoe os pênaltis

Foto: GloboEsporte.com
Foto: GloboEsporte.com

Colômbia e Peru empatam em jogo sofrível e disputam por pênaltis a vaga para as semifinais. Competência colombiana mais uma vez foi vista e equipe cafetera avança na competição.

Ainda bem que existem os pênaltis. Eles são a salvação e a emoção final que um torcedor pode ter após uma partida ruim. Para definir outra vaga nas semifinais, Colômbia e Peru jogaram e jogaram mal, sem espetáculo, sem as habituais chances, sem empolgação. Só os tiros fatais puderam separar tanta igualdade, apesar da Colômbia ser um grande time.

O Peru se retrancou e armou uma defesa com cinco homens para barrar o ímpeto colombiano, o que pareceu funcionar bem a maior parte do tempo. Para Ricardo Gareca e seus meninos, o mais seguro era mesmo segurar o empate e levar para os pênaltis para desafiar a sorte e a frieza dos adversários.

Aos colombianos, interessava o jogo ofensivo, mas a falta de criatividade foi um fator a prejudicar a evolução deles nos 90 minutos. Como o placar não saía do zero, as coisas foram ficando dramáticas até o ponto crucial das penalidades. O que na verdade também redimiu os torcedores de tão triste confronto.

A marcação foi bem efetiva dos dois lados e exatamente por isso não vimos um grande espetáculo, mas é assim que é o futebol por vezes. A necessidade de vencer ou mesmo de evitar a derrota substituem a arte e precisamos nos conformar que uma partida acabe sem momentos de brilho como todo torcedor sonha em ver das arquibancadas.

Quando chegou a hora de resolver a parada, a Colômbia manteve a compostura e acertou seus quatro tiros. Já o Peru, vacilante, perdeu com Trauco e Cueva, jogando nas mãos de Ospina o sonho de outra semifinal. E convenhamos, foi feita a justiça: este time de Gareca não é nada demais e seria um crime eliminar a potente Colômbia de Jose Pekerman. Que assim seja: os colombianos esperam México ou Chile na semifinal, que certamente irá pegar fogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *