Brasileiraço: Verde é sinônimo de gols na quinta rodada

CAMPEONATO BRASILEIRO 2016: PALMEIRAS X FLUMINENSE

Quinta rodada do Brasileirão não teve tantos bons jogos e os placares ficaram devendo. Mas os representantes alviverdes na Série A fugiram do script com resultados malucos. Chapecoense e Palmeiras brilharam em seus confrontos.

Série A: Chape e Palmeiras salvam rodada morna

Chape x Coxa

Se alguém quiser olhar para este Brasileirão com a visão de alguém que torce por um triunfo de clubes pequenos, a Chapecoense é a esperança da vez. Em uma partida simplesmente espetacular, a equipe catarinense bateu o Coritiba na Vila Capanema debaixo de chuva e de um baita lamaçal. O placar de 4-3 foi marcado por uma atuação grafitesca de Bruno Rangel, o novo artilheiro da competição.

Não choveu só água em Curitiba. Choveu gol, na partida mais movimentada da rodada, graças aos três de Bruno Rangel, o camisa 9 da Chape. Para não dizer que as emoções ficam apenas na bola nas redes, este foi o primeiro caso de demissão de técnicos até aqui. Dessa vez até que demorou, mas Gilson Kleina deu adeus ao cargo de treinador do Coxa. Até aqui, o time só venceu a primeira partida, empatou a segunda e perdeu as últimas três. Como o trabalho já não era tão bom assim, Kleina foi para o olho da rua. Para fechar com chave de ouro a barrenta noite coxa-branca, o quarto gol da Chape foi uma pintura de Lucas Gomes, que encobriu Wilson com uma frieza impressionante.

Em outras praças, falemos dos favoritos. O Internacional está no limite da eficiência ao ganhar jogos com o mínimo placar e mostrando solidez defensiva, já são quatro vitórias seguidas para o líder, que fez o Atlético Paranaense como vítima no Beira-Rio. Argel era tão criticado até o Gauchão, mas aparentemente o título permitiu a sequência do seu trabalho. Alguém duvida que o Colorado vá terminar o campeonato entre os quatro primeiros?

E o Corinthians? O alvinegro de Parque São Jorge exibe igual segurança e confiabilidade com o seu esquema proposto por Tite. Mesmo sem encantar, o Timão recuperou a sua boa fase e emplacou a terceira vitória em série contra o Santos, em seu estádio. O jogo não foi aquela maravilha, mas como o que importa são os três pontos, mais aplausos para o atual campeão nacional.

Digno de nota também é o Cruzeiro, que saiu de uma nebulosa e venceu a primeira na Era Paulo Bento. O português não estava no banco, já que foi suspenso, mas viu dos camarotes o seu time superar o Botafogo com atuação imponente apenas no primeiro tempo. Já no segundo, domínio total do Bota, que só não empatou porque tem coisas que só acontecem com o Botafogo. Caiu mais um invicto no Brasileiro: o Santa Cruz não aguentou o ritmo do Sport e perdeu em casa. Agora só restam Inter e Chapecoense sem derrotas entre os 20 concorrentes. Bem equilibrado, não?

Para encerrar bem a rodada, Palmeiras e Grêmio fizeram um partidaço, mas com algumas ressalvas. A arbitragem foi ridícula, validou dois gols irregulares, um para cada lado, inverteu faltas, não marcou outras e se perdeu nos critérios. Apesar disso, o Pacaembu recebeu com chuva o enredo maluco do grande duelo desta semana. O Verdão saiu na frente, tomou a virada em pouco tempo com uma rajada tricolor no ataque, reagiu bem e foi buscar outra reviravolta em 4-2. Quando as coisas iam acabando, Edílson fez mais um para os visitantes. Tudo isso só foi possível graças ao desempenho destrambelhado das duas defesas nesta noite.

A marcação e o posicionamento foram lamentáveis e explicam a quantidade de gols. Porém, se formos relativizar cada goleada, perde o futebol. Ótimo espetáculo para quem gosta de ver o que importa: a rede balançar. Melhor ainda para as operadoras de plano de saúde com tantos testes cardíacos ao longo dos 90 minutos.

Craque da rodada: Bruno Rangel, da Chapecoense, pelo primeiro triplete desta edição. O homem estava imparável contra o Coritiba.

Corneta da rodada: São Paulo, que esqueceu completamente o jogaço que fez domingo passado contra o Palmeiras e foi até Florianópolis para perder contra o Figueirense. Atuação para se esquecer dos de Bauza.

Placares: Internacional 1-0 Atlético Paranaense, Corinthians 1-0 Santos, Coritiba 3-4 Chapecoense, Santa Cruz 0-1 Sport, Botafogo 0-1 Cruzeiro, Atlético Mineiro 1-1 Fluminense, Figueirense 1-0 São Paulo, América Mineiro 1-2 Ponte Preta, Palmeiras 4-3 Grêmio e Flamengo 1-0 Vitória.

Série B: Xavante a mil por hora

Foto: Jessé Krüger/VAVEL Brasil
Foto: Jessé Krüger/VAVEL Brasil

O Brasil de Pelotas segue a sua arrancada para se estabelecer no G4 e mirar o acesso à elite. Em mais uma vitória do Xavante, no Bento Freitas, a vítima da vez foi o Paysandu, que prometia demais, mas segue na lama. Podem até falar que não foi lá um show de futebol, mas que os gaúchos estão firmes no intuito de superar obstáculos até a Série A, isso estão. O gol foi de pênalti, de Diogo Oliveira, e colocou os rubro-negros na terceira colocação.

O fato do Xavante estar indo bem anima. Anima porque é uma chance de vermos algum time diferente brigando por uma das vagas para a Série A. Se uma já pertence virtualmente ao Vasco, melhor equipe da Série B, é justo que apoiemos o carismático Brasil nesta saga de desbravamento do futebol nacional. Até agora, a defesa gaúcha é a melhor da competição, com apenas dois gols sofridos.

E o Vasco? Ah, o Vasco. Dessa vez não deu pra ganhar. Em Barueri, contra o Oeste (detalhamos adiante este absurdo), teve gol de Nenê logo no primeiro minuto, mas o rival do interior paulista cozinhou um pouco mais a partida do que o esperado, complicando as ofensivas cruzmaltinas. A formação de Fernando Diniz relembrou o valente Osasco Audax e deu trabalho, aumentando o nível da competição durante o decorrer da partida. Tanto fez o rubro-negro que Francisco Alex deixou tudo igual. Os mais corneteiros dirão que o Oeste mereceu a vitória, o que não parece tão surreal assim. Ficou devendo o Vascão.

Mas já que entramos no assunto, falemos do absurdo que é o Oeste. O pessoal de Itápolis resolveu arrendar o elenco do Osasco Audax para a disputa da Série B, com a adição de alguns outros jogadores que já estavam lá. Importante frisar que o Audax verdadeiro está na Série D.

Para piorar, o Oeste mandará seus jogos na Arena Barueri, já que o Estádio dos Amaros não possui alvará do Corpo de Bombeiros. Não bastasse ser itinerante e alugar um plantel, o time rubro-negro ainda jogará longe de casa, facilitando assim a vida de quem veio cedido pelo Audax. É pra acabar. E se subir? Joga o Emprestadão no lugar do que seria a estrutura formada e trabalhada por tanto tempo pelo pessoal de Itápolis? Esse tipo de coisa deveria ser proibida, é um acinte. Enquanto isso, na Série D, o resto do resto do Audax tentará sobreviver à competição.

Craque da rodada: Felipe, meia do Ceará, que fez o primeiro gol e construiu a jogada do segundo gol do Vozão contra o Goiás.

Corneta da rodada: Goiás, pelo amor de Jesus Cristinho, arruma a casa aí. Contrataram meio time e estão na 15ª colocação.

Placares: Ceará 2-1 Goiás, Bahia 0-0 Náutico, Sampaio Correia 0-0 Bragantino, Vila Nova 1-2 CRB, Brasil 1-0 Paysandu, Londrina 1-1 Paraná, Criciúma 1-0 Avaí, Oeste 1-1 Vasco, Luverdense 3-2 Atlético Goianiense e Tupi 1-2 Joinville.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *