Como o Bayern se transformou no dono da maior hegemonia alemã

22.09.2015, Fussball, Saison 2015/2016, 1. Bundesliga, 6. Spieltag, FC Bayern München - VfL Wolfsburg 5:1, Jubel Mario Goetze, Mario Götze (Bayern Muenchen), Arturo Vidal (Bayern Muenchen), David Alaba (Bayern Muenchen), Robert Lewandowski (Bayern Muenchen), Mario Goetze, Mario Götze (Bayern Muenchen), Thomas Mueller, Thomas Müller (Bayern Muenchen), v.li. 22 09 2015 Football Season 2015 2016 1 Bundesliga 6 Matchday FC Bavaria Munich VfL Wolfsburg 5 1 cheering Mario Goetze Mario Götze Bavaria Munich Arturo Vidal Bavaria Munich David Alaba Bavaria Munich Robert Lewandowski Bavaria Munich Mario Goetze Mario Götze Bavaria Munich Thomas Mueller Thomas Mueller Bavaria Munich v left

Clube bávaro será o primeiro tetracampeão alemão desde a formação da Bundesliga, em 1963. Outros três clubes conseguiram construir uma hegemonia na liga, mas nenhum deles chega perto dos 24 títulos do Bayern de Munique.

Contando as horas para comemorar o seu 25º título alemão, o Bayern está com folgas no posto de maior clube da Alemanha. Bem distante de Borussia Dortmund e Borussia M’Gladbach na soma de conquistas da Bundesliga, os bávaros encerram a Era Guardiola com o saldo positivo em competições nacionais.

Massacrando a maioria dos adversários nos últimos anos, o Bayern é o gigante a ser batido dentro do país. A distância de 19 títulos (por enquanto) para o Dortmund, segundo maior campeão da Era Bundesliga, desde 1963, é um retrato disso. Quem quiser peitar o domínio da turma de Munique precisará de pelo menos duas décadas de domínio absoluto para superar esta marca.

Podemos até esboçar uma discussão acerca de como o monopólio de conquistas prejudica o futebol alemão, mas são muitos elementos a serem levados em conta antes de taxar que a Liga é refém dos bávaros. Analisando a base da seleção alemã e a presença de clubes do país nas competições internacionais, podemos até dizer que tudo se resume ao Bayern nesta década. O time que chegou mais longe em competições internacionais além dos bávaros foi exatamente o Dortmund, finalista da Liga dos Campeões em 2013. Antes disso, o Werder Bremen perdeu a final da Copa Uefa para o Shakhtar, em 2009.

O Bayern ainda conta com os principais jogadores formados no país. Sempre que um jogador é revelado na Alemanha, naturalmente entra na mira dos bávaros. E raramente outros times como o Dortmund, Schalke, Wolfsburg ou o Leverkusen conseguem atrair talentos se disputam com os melhores do país em finanças ou projeção internacional. Fato é que a equipe de Munique é uma potência mundial e isso pesa na hora das negociações. Por mais que os aurinegros tenham construído uma estrutura invejável, a realidade ainda é pobre em comparação ao Bayern.

Dono de uma verdadeira seleção, o atual tricampeão nacional é a espinha dorsal da seleção germânica e conta com outros atletas de enorme prestígio internacional como Alaba, Vidal, Lewandowski, Douglas Costa, Xabi Alonso, Thiago Alcântara, entre outros. Discutir essa hegemonia é também falar sobre como o Bayern está distante dos demais. Mas isso fica para outra pesquisa mais aprofundada. O tema agora é relembrar os outros clubes que dominaram o país no passado. O próprio gigante de Munique teve outras hegemonias, como o tri de 1972 a 74, o bi de 1980 e 81, o tri de 1985 a 87, o bi de 1989 a 90, o tri de 1999 a 2001 e o bi de 2005 a 2006. É muito título, caras.

Além do Bayern, apenas quatro equipes conseguiram vencer duas ou mais vezes consecutivas a Liga.

Borussia M’Gladbach 1976-77

Borussia M'Gladbach 1977

Os Potros levantaram três salvas de prata consecutivas entre 1975 e 77, encerrando assim o seu período de maior sucesso no futebol, somando também duas taças da Copa Uefa e uma final da Copa dos Campeões na década de 1970. Único time capaz de deter o Bayern de Beckenbauer, Breitner e Gerd Müller, o M’Gladbach contava com Berti Vogts, Rainer Bonhof, Herbert Wimmer, Uli Stielike, Allan Simonsen e Jupp Heynckes como principais destaques da formação do técnico Udo Lattek. Em 1977, a equipe foi tricampeã alemã ao superar o Schalke por apenas um ponto na tabela. Foi o quinto e último título do M’Gladbach na Bundesliga.

Hamburgo 1982-83

Hamburg 1983

Outro gigante que há muito tempo não consegue ganhar nada é o Hamburgo. Lutando contra o rebaixamento nos últimos anos, os Dinossauros podem se gabar de nunca terem saído da elite desde a formação da Bundesliga, em 1963. O Bayern, por exemplo, jogou a segunda divisão de 1963 a 65. Em 1983, a equipe hamburguesa conquistou o bicampeonato alemão somado ao título da Copa dos Campeões da Europa.

A conquista nacional, no entanto, não foi nada fácil. Empatado em pontos com o Werder Bremen, o Hamburgo só levou o caneco pelo saldo de gols, o primeiro critério de desempate da época. Se a diferença fosse resolvida no número de vitórias, o vencedor seria o Werder, com três triunfos a mais. O elenco do Hamburgo era treinado pelo lendário Ernst Happel e tinha como destaques: Manfred Kaltz, Holger Hieronymus, Wolfgang Rolff, Felix Magath e Horst Hrubesch. Aquele título também foi o último da história do Hamburgo na Bundesliga.

Borussia Dortmund 1995-96

Borussia Dortmund 1996

O Borussia Dortmund de 1995-96 conseguiu a façanha de encaixar dois títulos consecutivos na Alemanha e ainda conquistar a Europa em 1997. Treinado por Ottmar Hitzfeld, os aurinegros mostravam um futebol inteligente e ofensivo. O melhor ataque da Liga em 1996 culminou na salva de prata, vencida com 68 pontos, seis a mais do que o vice-líder Bayern. Aquela equipe era clássica: Stefan Klos, Stefan Reuter, Julio César, Jürgen Kohler, Jorg Heinrich, Matthias Sammer, Andreas Möller, Michael Zorc, Steffen Freund, Stephane Chapuisat e Karl-Heinz Riedle. Com alguns membros desta formação, o Dortmund ainda conquistou o título de 2001-02, antes de beirar a falência no meio da década de 2000.

Borussia Dortmund 2011-12

Borussia Dortmund 2012

O auge da Era Jürgen Klopp no Dortmund. O carismático treinador tirou o time do esquecimento no fundo da tabela para fazer uma geração jovem e destemida ser bicampeã nacional em 2012 e vice-campeã da Europa em 2013. Famoso por revelar craques com facilidade, aquela equipe aurinegra bateu o Bayern na tabela final da Liga por uma vantagem de oito pontos.

A base usada por Klopp era: Roman Weidenfeller, Neven Subotic, Mats Hummels, Marcel Schmelzer, Lukasz Piszczek, Sebastian Kehl, Kuba Blaszczykowski, Kevin Grosskreutz, Ilkay Gündogan, Shinji Kagawa e Robert Lewandowski, além do paraguaio Lucas Barrios. Também se destacavam o meia Ivan Perisic, o volante Sven Bender, o atacante Mohamed Zidan e o meia Mario Götze. Desde então, só o Bayern tem sido campeão alemão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *