O primeiro “dérbi chileno” entre Inter e Lazio quase soltou faíscas

Zamorano e Salas

Logo após a Copa do Mundo de 1998, o Campeonato Italiano ganhou mais um grande chileno para suas filas de ataque. Iván Zamorano, que estava na Internazionale desde 1996, recebeu seu parceiro de seleção chilena: Marcelo Salas, que brilhou pelo River Plate, havia assinado com a Lazio. E os dois se encontraram meses depois de uma campanha memorável do Chile na Copa da França.

Salas e Zamorano vestiram a camisa de La Roja ao mesmo tempo entre 1994 e 2001. Foram para um Mundial em 1998, quando o Chile se classificou para as oitavas de final e foi eliminado pelo Brasil.

Até hoje, os dois lideram o ranking de artilharia da seleção chilena. Salas marcou 37 e Zamorano marcou 34. Os dois são lembrados com certa nostalgia pelos fãs de futebol nos anos 90, década em que marcaram com uma parceria repleta de gols e bons momentos.

Zamorano Inter 1998
Zamorano comemora gol pela Inter na Copa Uefa

Ironicamente, a primeira vez em que tiveram a oportunidade de estar no mesmo jogo por clubes, duelaram com as camisas de Lazio e Inter, pela Serie A italiana. A partida aconteceu em 17 de outubro de 1998, no Giuseppe Meazza, em Milão, em um confronto marcante pelo placar e pela revanche por parte da Lazio, que foi derrotada pela equipe nerazzurri meses antes na final da Copa Uefa.

A Fiorentina de Batistuta liderava com 12 pontos e era seguida pela Inter de Ronaldo e Zamorano. Para continuar brigando, a equipe interista, treinada por Luigi Simoni, teria um duro adversário: a Lazio de Sven-Goran Eriksson, que contava com Roberto Mancini e Marcelo Salas no seu ataque.

Salas estava em seus primeiros jogos com a camisa da Lazio. Marcou seu gol inaugural contra o Lausanne em 1º de outubro, pela Recopa Uefa. Já Zamorano, mais habituado ao competitivo futebol italiano, havia marcado três gols diante de Skonto (Copa Uefa) e Perugia (Serie A).

Salas Lazio
Salas, destaque da Lazio na campanha de 1998-99

Motivada, a Inter de Simoni praticamente contava com os três pontos, apesar do desfalque de Ronaldo. De repente, a final da Copa Uefa falou alto nos ouvidos dos biancocelesti. Com menos de um minuto de jogo, Mihajlovic cruzou na área e Salas completou para as redes de Pagliuca. 1-0 para a Lazio.

As coisas ficaram mais tensas para a Lazio quando aos 15 minutos, Salas sentiu problemas musculares e precisou sair. O camisa 9 deu lugar a Gottardi, mas nem por isso o time visitante pisou no freio. Pressionada pela Inter, a equipe celeste esperava mais erros defensivos dos donos da casa para fazer seu jogo.

O meia holandês Winter acertou uma bomba no ângulo de Marchegiani e empatou a partida aos 21 minutos, colocando fogo nas arquibancadas do Giuseppe Meazza. Porém, aos 35, Mihajlovic cobrou uma falta na medida e achou a cabeça do português Sergio Conceição, que fuzilou para deixar a Lazio em vantagem, 2-1.

LEIA TAMBÉM: A história do primeiro e único scudetto da Sampdoria

Cinco minutos depois, Mancini marcou o último gol do primeiro tempo, lançado por Favalli e batendo muito forte de dentro da área para vencer Pagliuca, seu ex-companheiro de Sampdoria, 3-1. Antes do intervalo, Simeone foi expulso por acertar uma cotovelada na cara de Fernando Couto.

Já durante o segundo tempo, Nedved fez grande jogada na esquerda e fez um passe rasteiro para o meio. Baronio, que estava na vaga de Mancini, fez a famosa deixadinha para Conceição marcar seu segundo tento na partida. Lazio 4-1 Inter.

Zamorano, o outro chileno que sobrou em campo, mal assustou Marchegiani. Entre várias finalizações erradas, a mais notável foi uma cabeçada por cima da baliza. A Inter só melhorou com a entrada de Ventola, que deu mais velocidade e ânimo aos companheiros. A defesa interista, todavia, ainda estava dispersa. Baronio desceu pela direita e cruzou para Nedved, completamente livre, marcar o quinto gol da Lazio, chutando em um lugar indefensável para Pagliuca, 5-1.

LEIA TAMBÉM: Os recorrentes ataques de fúria de Pavel Nedved

Foto: Inter.it
Foto: Inter.it

Ventola, com energia de sobra, diminuiu para a Inter, em um lance de oportunismo. O chute também foi no ângulo, só valia fazer golaço naquele dia, 5-2. Nedved recebeu seu segundo cartão amarelo e acabou expulso, cena frequente naqueles tempos. Quando o encontro se aproximava do fim, o jovem Ventola mostrou jogo de cintura e espetou os laziali pela última vez, em uma jogada em que ficou sozinho de frente para o gol, era só mandar para a rede, 5-3 e fim de papo.

No segundo turno, em fevereiro de 1999, Lazio e Inter se pegaram outra vez, com Salas e Zamorano em campo, um de cada lado. Entretanto, nenhum deles marcou e o placar foi de 1-0 para os celestes, gol de Sergio Conceição, carrasco interista na temporada. A Inter já contava com Mircea Lucescu no comando, já que Luigi Simoni foi demitido em novembro pela diretoria.

O campeão foi o Milan e a Lazio ficou em segundo, se preparando para a vitória edição seguinte da Serie A. Já a Inter, acabou em oitavo, muito longe do que se esperava com tantos craques no plantel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *