O que fizeram com Gaël Kakuta, a maior promessa jovem do Chelsea

Foto: Chelsea site
Foto: Chelsea site

Em 2007, o Chelsea brigava para poder tirar um atacante jovem do Lens. Exercendo seu poder financeiro e seu prestígio na Europa, o clube inglês conseguiu atrair o menino de 18 anos. A transação culminou em uma punição aos Blues, em 2009, com embargo nas transferências por um ano. Com contrato longo, Gaël Kakuta era uma promessa a ser lapidada, mas nunca teve chances expressivas.

O Chelsea escondeu o menino em seus times jovens e tratou a sua evolução como uma das grandes promessas para o futuro. Nele, era depositada a esperança de um novo Thierry Henry ou de um jogador minimamente talentoso que explodiria no momento certo.

Mas a chegada dele ao Stamford Bridge foi marcada pela polêmica. Cada vez mais, clubes europeus iam atrás de adolescentes para constituir suas categorias de base. O modelo pode até ter dado certo com Lionel Messi, que saiu ainda garoto da Argentina com a família. Mas não deveria jamais servir como exemplo, até mesmo porque nunca haverá outro como o camisa 10 do Barcelona.

LEIA TAMBÉM: A metamorfose de Alan Smith, o desafortunado

Kakuta Vitesse
Kakuta emprestado ao Vitesse, parceiro do Chelsea. Foto: Telegraaf.de

Kakuta ganhou em 2009 um contrato profissional de cinco anos e passou a usar da estrutura do Chelsea para se tornar uma realidade. Entretanto, não tinha espaço e foi emprestado uma porção de vezes para ganhar experiência. A cada ano que passava e ele falhava em impressionar, a reputação ia se desmanchando.

Primeiro foi parar no Fulham, depois em Bolton, Dijon, Vitesse (parceiro do Chelsea), Lazio e Rayo Vallecano, sem comprovar o seu status de fenômeno. E aí vale questionar: o que deu errado para ele?

Bem, para começar, a grande expectativa que se criou em torno dele. Para que o Chelsea tenha tirado ele ainda com 16 anos do Lens, algo os olheiros viram de diferente. O problema é que nem sempre o acompanhamento aos jovens é feito de forma apropriada e eles acabam atrapalhados por fatores externos. O escândalo que quase fez o Chelsea tomar uma suspensão na Fifa pode ter desencadeado um efeito negativo nele. E claro, a mídia esperando um Pelé francês que nunca estreava, também colaborou com isso.

Ao todo, Kakuta fez apenas 11 partidas pelo Chelsea, de 2009 a 2015. Ganhou prêmios como um dos melhores jogadores das equipes reservas, era considerado por profissionais do próprio clube como uma estrela. Mas a transição para o time principal parece ter ofuscado o seu brilho. Em nenhum dos empréstimos ele impressionou e sem nenhuma surpresa, teve seu contrato encerrado e os dirigentes não renovaram o vínculo.

Gaël claramente não é aquilo que se esperava. Como meia ou winger, o francês decepcionou bastante e a sua passagem pelo Vitesse terminou em piada. O lance que marcou a sua estadia em Arnhem foi um chute completamente torto que caiu fora do estádio:

A nova esperança

Presentación de Kakuta como nuevo jugador del Sevilla. Presentation of the new Sevilla player, Kakuta.
Kakuta é apresentado no Sevilla /Foto: Site oficial Sevilla

Em agosto de 2015, Kakuta ganhou uma nova chance. Foi contratado pelo Sevilla e fez até agora o total de três partidas. Apenas uma como titular, na Copa do Rei, contra o Logronés. Foi substituto na mesma competição contra o Betis, na última terça-feira e marcou um gol, o último da goleada de 4-0 que eliminou os alviverdes.

LEIA TAMBÉM: O dia em que Ronaldo quis derrubar o técnico da Internazionale e se deu mal

Isso deve motivar o jogador, que será reserva até mostrar para o técnico Unai Emery que pode ser um bom valor. Por agora, Gaël precisa dar passos pequenos para se estabelecer no esporte e mostrar que pode escrever uma história diferente da de muitos atletas que são estimados na base e não mostram serviço na hora H.

Estar no Sevilla, portanto longe da pressão do Chelsea e de uma competição insana por espaço, já deve ser um alento para o francês de 24 anos. A missão agora talvez não seja ser um craque internacional, mas apenas um jogador de valor que merece continuar jogando por equipes de alto nível. Um passo após o outro.

Fato é que não estamos lidando com um fenômeno. Se livrando desse prospecto, Kakuta pode se dar bem nos próximos anos. Espera-se que ele tenha aprendido algo com esses anos de inércia.

Um pensamento em “O que fizeram com Gaël Kakuta, a maior promessa jovem do Chelsea”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *