Seis Graus de Separação: De João Fumaça a Ballack

Figurinha TF João FumaçaFigurinha Ballack

Estava com saudade da nossa brincadeira semanal? Seus problemas acabaram. Cá estamos com mais uma edição do Seis Graus de Separação. Neste sábado, ligamos João Fumaça a Michael Ballack.

João Fumaça, Santos 1997

O atacante João Fumaça fez sua carreira começando no Noroeste. No Santos, viveu sua melhor fase, ainda que ela não tenha durado muito tempo. Jogou em 1997 pelo Peixe, antes de rodar o Brasil e a América. Enquanto atuava na Vila Belmiro, conheceu o meia Marcos Assunção…

Marcos Assunção, Betis 2006

Exímio cobrador de faltas e armador, Marcos Assunção começou no Peixe e teve bons anos na Europa por Roma e Real Betis. Na Espanha, teve a chance de cruzar com o lateral Paolo Castellini, que era um dos raros italianos a jogar pela liga espanhola…

Paolo Castellini, Roma 2010

Castellini não viveu o seu auge pela Roma, em 2010. Havia passado pelo Betis e pelo Parma antes de chegar na capital italiana. Foi treinado por Claudio Ranieri na Roma e conheceu o lateral norueguês John Arne Riise na equipe giallorossa…

John Arne Riise, Liverpool 2002

Riise marcou época com a camisa dos Reds, fazendo parte de um grande time de Rafa Benítez que conquistou a Europa em 2005. Outro que esteve no elenco daquele Liverpool de 2005 era o meia holandês Boudewijn Zenden.

Boudewijn Zenden, Chelsea 2002

Zenden teve longa carreira por clubes, jogando por grandes equipes como PSV, Barcelona, Chelsea, Liverpool e Marselha, além do Sunderland e do Middlesbrough. O holandês atuou pelos Blues de 2001 a 2003. E lá conheceu John Terry… (Esperamos que sem ter a sua mulher cobiçada pelo zagueiro)

John Terry, Chelsea 2007

Terry, um dos grandes zagueiros da história do Chelsea, foi formado nas categorias de base da equipe londrina, antes de ser promovido ao profissional em 1998. Também foi emprestado ao Nottingham Forest e voltou em 2000, está lá desde então. Terry já entrou em polêmicas por supostamente assediar esposas de colegas de time, sendo o caso mais notório o de Wayne Bridge, que até saiu do clube logo depois para evitar maiores problemas. Um dos caras que Terry provavelmente não gostaria de arrumar encrenca é o alemão Michael Ballack, que vestiu a camisa do Chelsea de 2006 a 2010…

Michael Ballack, Chelsea 2007

O meia alemão foi um dos grandes talentos da sua geração que fez a transição dos anos 1990 para os anos 2000 com alguns vexames no histórico. Nos tempos em que Ballack jogou pelo Chelsea, conquistou duas vezes o Inglês, três a Copa da Inglaterra e uma a Copa da Liga inglesa. Saiu em 2010 depois de se lesionar e perder o Mundial de 2010 na África do Sul, graças a Kevin Prince-Boateng, então no Portsmouth. Voltou para o Leverkusen, que o projetou para a fama internacional, se aposentando em 2012. E é aqui que chegamos ao fim da linha desta edição do Seis Graus de Separação.

Seis graus João Fumaça Ballack

3 pensamentos em “Seis Graus de Separação: De João Fumaça a Ballack”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *