O momento em que Aldair passou a faixa de capitão a Totti na Roma

Foto: Globoesporte.com
Foto: Globoesporte.com

Para a torcida da Roma, Aldair é quase sagrado. Com seu jeito calado conquistou o coração dos romanistas e entrou para a história. Ganhou o apelido de ‘Pluto‘, pela semelhança com o personagem da Disney. Ganhou o respeito dos companheiros. Ganhou um lugar no Hall da Fama. Ganhou um scudetto. Mas, acima de tudo, ganhou a admiração eterna de Francesco Totti.

Durante 10 anos, Aldair e Totti jogaram juntos. Uma década de extremos, marcada por desilusões e vitórias, de esperanças perdidas e reconquistadas, de personagens consagrados e outros até esquecidos. Década que uniu o experiente Aldair, titular absoluto da seleção brasileira, com passagens por Flamengo e Benfica, e veterano no time giallorosso com uma Copa da Itália e a jovem promessa: Francesco Totti.

Brescia de Hagi x Roma de Aldair

Totti (4)
Tottinho, em seus dias como juvenil na Roma

A história começa em um improvável dia de sol, em março de 1993, no estádio Mario Rigamonti, em Brescia. O comandante da Roma é Vujadin Boskov e seu time não é exatamente o sonho de ninguém: Cervone, Benedetti, Petruzzi, Mihajlovic, Comi, Garzya, Aldair, Bonacina, Giannini, Caniggia, Rizzitelli. No banco, um tal Francesco Totti, garoto de 16 anos, que fez sua estréia no 87º minuto, entrando no lugar de Ruggiero Rizzitelli.

Aldair, Aldair, Aldair…

Foto: Quattro Tratti
Foto: Quattro Tratti

Aldair Nascimento dos Santos fará 50 anos no dia 30 de novembro, dos quais 13 foram vividos em Roma. Ele foi o último presente do mítico presidente Dino Viola à torcida romanista. Apaixonado pelo futebol brasileiro, Viola, que morreu em janeiro de 1991, foi buscá-lo no Benfica, que tinha acabado de perder a Copa dos Campeões para o Milan. Os números não mentem: 330 partidas, 14 gols, uma Copa da Itália, uma Supercopa italiana e um scudetto.

O zagueiro virou capitão da Roma em 1996. Tímido, conquistou espaço de maneira gradual e se transformou em uma das mais sólidas colunas da defesa romanista. Mais romano que baiano, criou até um dialeto único.

Na semana que antecedeu a partida contra a Udinese, depois do treino, Aldair se aproximou de Totti e informou que ele seria o capitão no domingo. Não era a primeira vez que Totti colocava no braço a faixa de capitão, coisa que já tinha acontecido algumas vezes no decorrer do campeonato quando o brasileiro não jogava.

No túnel, antes do duelo com os friulanos, Aldair passou oficialmente a faixa para o camisa 10. Era 31 de outubro de 1998, e a partida terminou com o placar de 4-0, com direito a dobradinha de Totti. Com seu jeito discreto, quando fala sobre a transição, Pluto fez parecer uma coisa natural: “Achei que ele estivesse pronto para essa responsabilidade e que a faixa só iria ajudá-lo a crescer mais. Foi só para encorajá-lo“.

Ironicamente, no dia 17 de junho de 2001, por causa de uma contusão, viu a conquista do terceiro título romanista apenas das tribunas do Olímpico. Ainda jogou por mais 2 anos, sempre castigado por contusões. “Estou orgulhoso de fazer parte da história da Roma. Para ela dei tudo e amo esta torcida”, diz ele.

LEIA TAMBÉM: 39 coisas que você não sabia sobre Francesco Totti

Todo este amor e dedicação foi retribuído no dia de sua despedida, o Aldair Day, no dia 2 de junho de 2003. A tradicional Curva Sud preparou uma coreografia especial e a faixa “Roma te ama. A Sud te honra“.

“Por 13 anos a nossa camisa você honrou. Um lugar no nosso coração você conquistou”

“Meu Totti é tão humilde e tão grande”

É com extremo carinho que Totti fala do brasileiro: “Com Aldair tenho uma relação ótima. Foi ele que me deu a faixa de capitão. Ele é um cara incrível. Nos falamos sempre“, comenta o capitão romanista, aos 39 anos.

LEIA TAMBÉM: A primeira e a última partida da carreira de Maldini

Aldair faz parecer como se o tempo tivesse escapado por entre seus dedos ao falar daquele menino que virou uma bandeira do clube da capital, que ele chama carinhosamente de ‘Meu Totti’: “20 anos… estou ficando velho. Sabia que ele seria um grande jogador, mas não imaginava que teria esta carreira fantástica. A sua história é maravilhosa e merece ser celebrada“.

Aldair

O sonho de ver Francesco jogando no Brasil em 2014 não foi realizado. Mas, Pluto não desiste. “Se a Roma não quiser renovar seu contrato, meu Totti pode vir jogar no Brasil. Nosso campeonato é muito bom e, com certeza, várias portas se abrirão para ele por aqui”.

5 pensamentos em “O momento em que Aldair passou a faixa de capitão a Totti na Roma”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *