Kovacic é o quinto grande croata a defender o Real Madrid

Substituir o grande jogador croata da atualidade devia ser uma honra para Mateo Kovacic. Afinal, chegar ao Real Madrid para compor elenco e ocupar a vaga de Luka Modric, quando este estiver ausente, é para conterrâneo nenhum botar defeito.

Formado pelo Dinamo Zagreb, Kovacic (que nasceu na Áustria e foi criado na Croácia) desembarcou em Milão como promessa do futebol italiano em 2013 e desempenhou bem a função de passador, mostrando boa qualidade na condução de bola e no posicionamento. A visão de jogo transformou Mateo em um ótimo volante moderno, que sabe dar combate e ao mesmo tempo armar ofensivas com facilidade. Outra virtude notável no atleta é o seu alto poder de finalização.

LEIA TAMBÉM: Real Madrid vai contratar Kovacic; não porque precisa, mas porque quer (Por Marcelo Bechler)

Enquanto o novato no Santiago Bernabéu aguarda a sua chance para brilhar como fez pela Internazionale, é possível lembrar de outros croatas que defenderam o Real. Outros quatro conterrâneos de Mateo que tiveram histórico pela seleção da Croácia já atuaram pelo clube espanhol, que tal lembrar deles?

Robert Prosinecki

Foto: Mozzart Sport
Foto: Mozzart Sport

O maior craque da Croácia não teve grande sucesso no futebol internacional de ter deixado o Estrela Vermelha, que foi campeão europeu em 1991 contra o Olympique de Marselha. Contratado pelo Real logo após a conquista do título, Prosinecki foi ofuscado por lesões e atuações ruins como titular. Marcou um gol contra o Barcelona, de falta, em sua primeira temporada, mas falhou em ter sequência. Três anos depois, foi negociado com o Oviedo, em 1994. Não vingou e ainda enganou bem no Barcelona e no Sevilla, antes de voltar para a Croácia.
Nota para a passagem: 3,5

Davor Suker

Foto: Marca
Foto: Marca

Notório goleador, o atacante Davor Suker estava no Sevilla e marcando vários gols quando foi contratado pelo Real Madrid, em 1996. Continuou sendo artilheiro e marcou 24 gols na campanha do título espanhol, em 1996–97. No ano seguinte, foi para o banco e viu o iugoslavo Mijatovic brilhar com o gol do título da Copa dos Campeões. Depois de uma exuberante Copa do Mundo em 1998, teve novas chances, mas acabou voltando para a reserva e saiu do clube em 1999.
Nota para a passagem: 7,5

Robert Jarni

Foto: Marca
Foto: Marca

Companheiro de Suker na campanha mágica da Croácia no Mundial de 1998, o meia Robert Jarni foi contratado pelo Real Madrid justamente para fazer companhia a Suker, em seu último ano. Estava no Coventry City antes de assinar com os madridistas e teve passagens por Bari, Torino e Juventus. Ficou uma temporada no Santiago Bernabéu, teve seus momentos como titular, mas não impressionou e saiu para o Las Palmas logo depois, em 1999.
Nota para a passagem: 5

Luka Modric

Foto: Sky Sports
Foto: Sky Sports

Nitidamente o jogador mais talentoso desta geração da Croácia. Estourou pelo Dinamo Zagreb e jogou muita bola pelo Tottenham antes de ser comprado pelo Real, em 2012. Demorou a se firmar, mas quando o fez, virou titular e queridinho da torcida. Foi vencedor da Champions em 2014 como um dos grandes destaques, mas ainda hoje sofre com constantes lesões. Se não se quebrar mais vezes, tem tudo para ser um dos grandes ídolos da década no clube. É um sósia de Johan Cruyff adaptado ao futebol moderno.(Não, isso não é uma comparação. Eles são parecidos fisicamente)
Nota para a passagem (até agora): 8,5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *