Jonas Gutiérrez e a dispensa mais canalha da história do futebol

A história não é exatamente nova, mas carece de atenção, tamanha canalhice dos dirigentes. Como alguns devem ter acompanhado no noticiário inglês, o Newcastle se salvou do rebaixamento no Campeonato Inglês e fez uma das maiores sacanagens de sua história. Como se não bastasse, foi a segunda com o mesmo jogador, justo um homem que teve de batalhar contra um câncer para voltar ao esporte. Se em algum momento as pessoas torciam para os Magpies na reta final da luta contra a degola, a dispensa de Jonas Gutiérrez detonou qualquer simpatia dos outros torcedores pela equipe de Tyneside.

Tudo começa em 2013. Na metade do ano, o meia argentino Jonas Gutiérrez precisou se afastar do Newcastle para cuidar da própria saúde. O jogador, que esteve na Copa do Mundo de 2010 com a Argentina, descobriu um câncer nos testículos e não teve o mínimo apoio do clube. Nem financeiro e quanto menos emocional. A história foi confirmada por Fabricio Coloccini, zagueiro dos alvinegros e amigo pessoal de Gutiérrez.

O atleta foi então emprestado ao Norwich, em 2014 onde quase não jogou em virtude da sua enfermidade. Curado, o argentino retornou aos gramados apenas no fim do ano, jogando pelos times sub-20 do Newcastle. Em janeiro, conseguiu enfim atuar pela equipe titular. Fez poucas partidas e ganhou imenso carinho das arquibancadas. Simplesmente porque as pessoas ainda possuem um fio de empatia com quem tanto lutou para continuar fazendo o que gostava na vida.

Jonas não só voltou com status de herói, como marcou um dos gols na partida decisiva contra o West Ham, na última rodada, garantindo a permanência dos Magpies na elite inglesa. Era o roteiro de uma grande superação, ou acima de tudo, a resposta ao desleixo da diretoria em relação ao suporte que um jogador doente deveria ter. Pois na contramão de todo o alívio, uma semana depois, a pior das notícias veio: Gutiérrez e mais alguns atletas foram dispensados. Por telefone. Em uma ligação só. O responsável pela ligação é o pouco carismático John Carver, que já foi tema de um texto na semana passada aqui na TF.

Em entrevista à ‘Sky Sports News’, o defensor Ryan Taylor, outro dispensado, detalhou a lamentável atitude dos diretores do Newcastle.

John Carver me ligou e disse que o clube não iria me oferecer uma proposta de renovação. Eu conversei com ele, que é um bom amigo. Passei muito tempo com ele, dentro e fora do time. Então falamos bastante e ele me pediu para que passasse o telefone para Jonas, o que foi inacreditável. Não posso culpá-lo pois ele estava apenas seguindo ordens.

Ryan estava na Irlanda do Norte ao lado de Gutiérrez. Os dois estavam fazendo um curso para obter licenças como treinadores. Mesmo que os atletas já soubessem que não continuariam na equipe na próxima temporada, não deixa de ser mesquinha a postura dos dirigentes. Não é mesmo à toa que os torcedores estão cada vez mais revoltados e pedindo a saída do dono Mike Ashley da administração.

Mais uma temporada desastrosa no Newcastle com Carver à frente do time pode ser o castigo que o time tem escapado nos últimos anos. E quando isso acontecer, não haverá nenhum outro herói para evitar o desastre, pois o Newcastle simplesmente não está respeitando os seus ídolos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *