E se o Corinthians jogasse a Liga dos Campeões?

O povo clama, a inquietação não sai mais da cabeça do corintiano e ganhou as pautas de programas esportivos na TV fechada. Nesta quinta-feira, a ESPN lançou uma pergunta que há muito está ali, escondidinha no canto do nosso imaginário: o Corinthians iria bem se jogasse a Liga dos Campeões?

Foram anos e anos de dúvidas que não puderam ser resolvidas, comparações que não puderam ser feitas, resultados que não puderam ser vistos. Mas finalmente a ESPN perguntou o que o bebum do bar da esquina ou o seu priminho de cinco anos provavelmente fariam em uma noite chuvosa de terça-feira.

É do nosso máximo interesse aqui na Total Football querer responder a estas hipóteses, como já fizemos muitas vezes no passado. Pois bem, vamos ao trabalho de imaginar essa história: primeiramente, o Timão seria convidado pela Uefa a participar da Champions, como forma de compensar todo o seu prestígio sul-americano e internacional. A vitória diante do Chelsea, no Mundial de Clubes de 2012, credenciou o alvinegro de Parque São Jorge a lutar pelo principal troféu de clubes da Europa.

Lula, ele mesmo, se reuniu com Michel Platini em um jantar escondido nos Jardins para discutir a possibilidade de incluir o Coringão na Champions em 2015-16, portanto com o time mais preparado do que o atual, que encanta e faz brilhar os olhos. Tite estava conectado à conversa, pelo Skype, arranhando um francês para convencer Platini de que seria uma boa para a Uefa e para o Timão uma participação especial no torneio.

Platini protocolou o documento e contou com a ajuda da Globo, que transmitiria todas as partidas do Corinthians no lugar de alguma novela que você nem lembrava que tinha sido exibida nos anos 90, pelo Vale a pena ver de novo. Chamadas feitas, Timão na Europa, exclusivo na emissora do plim-plim. O principal ícone dessas chamadas era um bonequinho com uniforme do Corinthians, parecidíssimo com Sócrates. O nome do mascote era ‘Brasileiro’.

Foto: UOL
Foto: UOL

Pula para agosto de 2015. Hora do sorteio dos grupos, Gianni Infantino, secretário geral da Uefa, avisa que nesta edição, a Champions terá um convidado sul-americano, para fins de experimento. O Corinthians foi sorteado com Bayer Leverkusen (que conheceu no início do ano, durante a Florida Cup), Arsenal e Galatasaray. A estreia foi marcada para a Arena, em Itaquera, contra os alemães.

O Corinthians venceu por 2 a 0, um gol de Guerrero e outro de Fagner. O segundo compromisso seria contra o Arsenal, no Emirates Stadium. Tite observou a atuação do Monaco na casa dos Gunners e saiu da Inglaterra com um empate em 1 a 1. Wilshere e Rosicky se machucaram e prejudicaram o esquema de Arsène Wenger. Os gols foram de Giroud e Danilo, que entrou no segundo tempo. Comentaristas ficaram em chamas com a possibilidade de cornetar o plantel de Wenger, sobretudo o craque Neto. Na opinião do ex-jogador, Arteta seria banco até da Chapecoense.

De volta ao Brasil, o Timão enfrentou o Galatasaray e teve problemas, mas venceu por 2 a 1, graças a um golaço de Elias e outro de Jadson. Os turcos diminuíram com Felipe Melo, que saiu xingando a torcida corintiana e provocou uma confusão generalizada no túnel. Gil se envolveu e acertou uma cotovelada no volante, que já estava com pouca moral no país após a atuação contra a Holanda, nas quartas de final da Copa de 2010. PVC se exaltou ao tentar conversar com Felipe Melo no pós-jogo da Fox Sports e protagonizou uma discussão tão hilária quanto a que antecedeu o Mundial na África do Sul. Membros da produção da emissora seguraram o jogador, antes que ele partisse para a violência com o jornalista.

O segundo turno reservou surpresas desagradáveis para Tite. Elias sofreu uma lesão muscular e Cássio foi expulso por fazer cera contra os turcos, em Istambul. A Uefa puniu o Galatasaray, mas não passou a mão na cabeça do goleiro, que foi atingido por um sinalizador enquanto amarrava as chuteiras na linha de fundo. O placar foi de 0 a 0. Somando oito pontos, o time alvinegro dependia de uma vitória para se classificar com antecedência, já que o Arsenal estava na frente e com boa vantagem para o Leverkusen no grupo.

Um empate em 1 a 1 contra o Arsenal não animou a torcida, mas o gol de Guerrero tornou o resultado aceitável. Alexis Sánchez marcou pelos Gunners. Na rodada final, o Corinthians ainda bateu outra vez no Leverkusen, na Alemanha, agora por 1 a 0, gol de Felipe, conseguindo se classificar sem problemas. A tabela ficou com o Arsenal na ponta, Corinthians em segundo, ambos com 12, Leverkusen com seis e Galatasaray em último, com apenas dois.

É mata-mata, amigo!

Foto: Reuters
Foto: Reuters

E o Corinthians foi até as oitavas de final, onde enfrentaria o surpreendente Basel. Já em fevereiro de 2016, inteiro e motivado, o Coringão passeou no St’ Jakob Park, vencendo por 2 a 0, gols de Elias e Emerson. Na volta, festa em Itaquera: 4 a 0, com dois de Guerrero, um de Danilo e outro de Renato Augusto. O sorteio das quartas de final não foi generoso e colocou o Chelsea de José Mourinho como rival, numa revanche por 2012.

Na semana anterior ao confronto, Mourinho usou a imprensa para comentar que achava um absurdo a Uefa convidar uma equipe sul-americana para a competição, alegando que as viagens poderiam tornar os corintianos presa fácil pelo cansaço, numa tentativa de esconder o seu desgosto por enfrentar um oponente que nem europeu é. Tite usou o discurso do português nos vestiários para traçar o plano do primeiro embate, na Arena. Assim como em 2012, o Corinthians esperou o Chelsea, mas se surpreendeu ao ver que os Blues também estavam mais preocupados em defender. O ‘fair play’ durou até os 10 minutos da segunda etapa, quando a torcida já chiava nas arquibancadas.

Guerrero puxou a marcação e Jadson fez um cruzamento perfeito. O peruano estava com espaço na marcação de Cahill e tocou de cabeça para abrir o placar. Willian, ex-jogador alvinegro, simulou uma lesão em dividida com Ralf e pediu para ser substituído. Oscar, no entanto, não teve a mesma pena e driblou dois antes de fazer o gol de empate. O jogo já marcava 43 da segunda etapa quando, em uma infelicidade de Felipe, que escorregou, Azpilicueta teve uma bola limpa no canto da área e venceu Cássio para dar a vitória aos ingleses, 2 a 1.

No Stamford Bridge, Mourinho adotou o seu habitual sistema defensivo para garantir que o agregado continuasse favorável ao seu time. Tite escalou Malcom e Guerrero na frente, mas sacou o jovem atacante para colocar Vágner Love, bem mais experiente. Love foi o autor do primeiro gol, aos 27 da segunda etapa, depois de um corte seco em Zouma. O resultado ainda classificava o Chelsea, quando Mourinho optou por sacar Matic e colocar Terry, fechando a retaguarda com três zagueiros. Estacionou o ônibus na frente da área, até que aos 39, Jadson chutou mal, a bola resvalou em Ramires e sobrou para Elias, que bateu da meia-lua no canto de Courtois. 2 a o Timão, classificado. Festa no Anhangabaú e na casa da família de Cássio, que foi acompanhada de forma irritante pela reportagem da Globo durante a tarde da partida.

A despedida de Ibrahimovic

Já sonhando com o título, o Corinthians avançou para a semifinal e pegou o Paris Saint-Germain, embalado com uma goleada no Manchester United, na fase anterior. Sobraram também Bayern de Munique e Barcelona, que fariam a outra partida.

Tite pediu para que a Federação Paulista adiasse o jogo contra o Penapolense, na sexta-feira, para que pudesse ter tempo de viajar, jogar, voltar e ainda descansar antes da rodada de fim de semana. A ida seria no Parc des Princes, na quarta-feira. Em seu regulamento, a FPF não previa adiamento por motivos de participação na Champions e acabou vetando o pedido de Roberto de Andrade. Podendo apenas contar com 28 atletas no Estadual, Tite foi com apenas 16 jogadores para a França, deixando grande parte dos reservas no Brasil.

A aposta seria em Fernando Gago e Bernard, novas contratações feitas em fevereiro de 2016, que não puderam estar em campo contra o Chelsea, nas quartas. Pois o PSG fez 2 a 0 em Paris, graças a Ibrahimovic e Pastore. O sueco estava em seus últimos jogos com a camisa do time francês antes de anunciar a sua aposentadoria. Inspirado, fez de voleio, nas costas de Fagner, que estava mal posicionado.

Foto: ESPN FC
Foto: ESPN FC

Tite então convocou a torcida corintiana para comparecer em massa ao jogo de volta, o mais importante depois da vitória no Mundial, em Yokohama. Fabio Santos deu esperanças aos locais ao marcar o primeiro, aos 22 minutos, numa falta no canto da área. Faltava só um para pelo menos chamar os pênaltis. O PSG sentiu a importância do duelo, o mais longe que chegaram desde 1995, quando perderam para o Milan. Fagner cruzou e Guerrero fez o segundo, aos 15 da etapa complementar. O desespero era visível nos torcedores, que roíam unhas e choravam de tensão. A partida precisou ser decidida nas penalidades e Galvão Bueno já estava mais rouco do que um urso de ressaca na transmissão da Globo.

Renato Augusto bateu primeiro e fez, Ibrahimovic também. Elias converteu para o Timão e Cavani fez para os parisienses. Guerrero converteu e saiu batendo no peito, Lucas errou e saiu cabisbaixo. Fabio Santos chutou pelo alto e a vantagem corintiana foi pelos ares. Verratti acertou e empatou. Emerson bateu na trave e ajoelhou, sofrendo. David Luiz não perdeu e virou para o PSG. O cobrador deveria ser Thiago Silva, mas este estava sendo abraçado por Laurent Blanc enquanto chorava copiosamente de desespero. Chegou a hora da decisão: Gago bateu mal e Sirigu caiu firme para defender e eliminar o Timão.

Era o fim do sonho corintiano na Europa. Mas a invasão ao Velho Continente rendeu boas histórias. Na final, o PSG acabou derrotado por Guardiola, que saiu aclamado do Bayern com o título europeu. Em 2016, Andrés Sanchez tentou outra vez colocar o Corinthians na Champions, mas o pleito não foi bem sucedido. Quase deu.

7 pensamentos em “E se o Corinthians jogasse a Liga dos Campeões?”

  1. Pensei que iriam fazer uma análise diferente. Mas sério, se um time europeu tivesse os mesmos jogadores e o treinador do Timão, poderia pelo menos sonhar em ganhar a Champions.

    Basta lembrar que o APOEL já conseguiu chegar nas quartas em 2011-12. O Málaga quase chegou nas semifinais em 2012-13 sendo eliminado pelo Borussia nos minutos finais. O Atlético de Madrid em 2013-14 ninguém esperava muita coisa e foi vice-campeão. Enfim, em um ano inspirado, o Corinthians poderia beliscar uma semifinal, final ou, do jeito que o futebol é surpreendente, até ser campeão.

  2. Hahahahahaahahahaah Que time patético!!!!!! Disseram que estavam no mesmo nível dos times da Champions, mas foram eliminados pelo Guarani Paraguaio!!!!! HAhaahahaha. O Corinthians é uma piada!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *