Satisfação

Por Douglas Leandro

Conheci a Trifon pelo meu amigo Wenceslau. Ele atuou nas duas primeiras copas e, desde a última, me interessei em jogar. Não consegui ser sorteado por ter mandado minha inscrição muito tarde, porém botei na cabeça que na III Trifon Ivanov meu nome estaria relacionado em algum time.

Não tinha preferência alguma de cair no time do Portes, do Lobo ou qualquer outro capitão, havia apenas UM medo: usar vermelho e preto (TE AMO FOGO <3). Para minha sorte, e sagacidade dos organizadores sensatos e maravilhosos, não tivemos sequer um time nessas cores (UFA!). Sabendo disso, fiquei ainda mais animado para que o sorteio ocorresse e começassem logo os jogos!

Assim que o sorteio foi realizado, já comecei a organizar minha caravana. Falei com primos, amigos, chamei várias pessoas para me acompanhar ao torneio. Meu primo mais velho e sua esposa entraram na minha onda e resolveram que iríamos a SP… de carro! Mais de um mês antes do fatídico 27 de setembro e já estávamos pensando em mapa, cortar pedágio, hospedagem etc. Ficamos em um hostel chamado “Casa Club Hostel Bar”, muito bom diga-se de passagem; minha primeira experiência em um albergue. Somado a isso, meu fim de semana foi inesquecível. Tentei perder um pouco de peso para não chegar no dia parecendo ser a bola e não o goleiro mas não deu muito certo não, entretanto o “Pojeto Douglas Leandro fitness IV Trifon Ivanov” está em andamento (QUERO VER O SENHOR FAZER AQUELE GOL EM MIM DE NOVO APÓS EU PERDER UNS 20 KG SENHOR PORTES, FELIPE).

O que eu sempre ouvia era que os paulistas odiavam os cariocas, que eles eram antipáticos, secos, mal humorados e grossos; a Trifon me mostrou justamente o INVERSO. Uns caras muito gente boa, engraçados pra caramba, simpáticos, educados, receptivos, entre tantos outros adjetivos que eu poderia expressar aqui. Só tinha mano fera das quebrada meeeooouwww

Jogar meu primeiro torneio foi muito melhor do que imaginei. Não só por ter conseguido chegar à final, mas por ser um campeonato muito bem organizado, divertido, atraente e recheado de craques… como pessoas, é claro, porque o que tinha de perna de pau, pelamordedeus.

Foi uma honra defender a Inter de Limão, ser liderado pelo capitão Felipe Lobo, tomar esporro do Pedreckenbauer, gritar “BIIIXXXCOOOOIITOOOOO” com o Brunão e estar ao lado dos meus companheiros de equipe. Foi uma experiência única e que, certamente, vou querer experimentar mais 20 vezes, se papai do céu abençoar.

Abraços e até a próxima!

Inter de Limão

1 pensamento em “Satisfação”

  1. Pouco pederasta o menino Douglas Leandro. Parabéns pelo vice, bela homenagem ao Botafogo vice do Mengão sempre que possível e impossível. Já fui informado que ano que vem o atleta em questão pretende chegar ao 50º gol tomado no Trifonzão, espero estar presente para conferir tal feito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *