Os aguardados troféus individuais do II Troféu Kátia Cilene

Por Dimayma Belloni e Nayara Perone

Mais esperados que a taça da Trifon. Mais imporantes que chuteira em dia de jogo. Mais aguardados que ônibus no terminal quando já passou da meia noite. Aqui vão os troféus individuais do II Torneio Kátia Cilene!

Troféu Adriano de jogadora mais alcoolizada

Bel, do Arujax e Dimayma do Once Poços de Caldas travaram uma disputa acirrada e levaram juntas esse troféu. Parabéns, meninas! Adriano Imperador está orgulhoso!

Troféu Vampeta de jogadora mais zueira

Nayara Perone, do Liverpoá, era a jogadora que o torneio precisava para unir todas as cornetas. Até cânticos especiais de “carinho da torcida” foram entoados para seu time.

Troféu Marcelo de gol contra

Não teve gol contra. Mals aí, galera.

Troféu Dunga de capitã mais mala 

Nayara Perone, do Liverpoá, pode até ser legal de conversar, mas capricha na carinha de quem não tá gostando demais. E nas jogadas, bem gente… ela tenta né?

Troféu Thiago Silva de capitã mais chorona

Não teve choro, apenas risos. (Nota do editor: mentira, que eu vi, ninguém me falou)

Troféu Podolski de jogadora mais carisma

Ana Pads, gigante em campo, jogou do ataque ao gol e ainda ganhou merecidamente, um hino do Botafogo entoado pela torcida para motivar na disputa do terceiro lugar.

Troféu Romário de artilheira

Melissa Oliveira, do Mauázembe. Fez gol em todas as goleiras. Mita!

Troféu Túlio de gol mais humilhante

Carolina Leyser, do Arujax, marcando gol entre as pernas da goleira. Foi lindo de ver.

Troféu Valdívia de mais lesionada

Nati Brito, do Liverpoá, que se lesionou nesta edição e jogou os últimos jogos no sacrifício. Esperamos que a Natália, ao contrário do Valdívia, melhore e volte o mais rápido possível para as quadras. (Nota do editor: EU JÁ SABIA)

Troféu Pirlo de melhor gol de bola parada 

Júlia Vergueiro, do Once Poços de Caldas, marcou um golaço de falta contra o Rio Saint-Gonçalo. Foi uma pintura.

Troféu Laudrup de melhor dupla

Elaine e Júlia, do Once Poços de Caldas, fizeram uma ótima dupla em campo. Menções honrosas para Maria e Carol, do Mauázembe e Carolina Leyser e Marcela Pioto, do Arujax, que faziam belíssimas trocas de passes.

Troféu Simeone de jogadora mais catimbeira

Melissa, do Mauázembe, que encarnou o espírito argentino em campo e infernizou as adversárias. Com direito a mandar jogadoras irem beber leite.

Troféu Jô de jogadora mais baladeira

Giovanna e Lívia, do Liverpoá, que dentre outras coisas, perdiam a hora no funk que rolava fora da quadra. Menções honrosas para Julinha e Dimayma, do OPC, que também perderam a hora na zuera.

Troféu Bebeto de comemoração mais marcante

Carolina Leyser e meninas do Arujax, comemorando gol no passinho do sapinho.

Troféu Ronaldinho Gaúcho de jogadora mais firuleira

Letícia, do Salvadortmund, que deu dibre até na sombra (o certo é dibre, não corrijam).  (Nota do editor: errada está a senhora em achar que corrigiríamos)

Troféu Tupãzinho de melhor reserva 

Lia do Rio Saint-Gonçalo, que entrou como reserva de última hora no time e mitou em quadra, recebendo elogios da capitã Ana Pads pelos diversos dibres. (o certo é dibre).

Troféu Balotelli de jogadora mais marrenta

Giaco, do Salvadortmund, que se tivesse feito um gol, certamente teria comemorado com muita marra.

Troféu David Luiz de melhor penteado

Bel, do Arujax, que encantou com seus cachinhos, raça e carisma.

Troféu Maradona de gol mais bonito

Marcela Pioto, do Arujax, que marcou um golaço de calcanhar. Este gol ficará na memória da Copa Trifon!

Troféu Valbuena de melhor baixinha

Amandinha, goleira do Arujax. WALLMANDA.

Troféu Peter Crouch de melhor alta

Melissa Oliveira, do Mauázembe.

Troféu Lev Yashin de melhor goleira

Gaby “Juju”, do Salvadortmund, que fechou o gol com defesas milagrosas.

Troféu Robben de melhor queda em campo

Leka Peres, do Arujax, simulando um pênalti. Agradecemos a academia pelo Oscar conquistado.

Troféu Gamarra de melhor zagueira

Bruna Queiroz do Liverpoá e Thaís Giacomini, do Salvadortmund levaram juntas esse troféu. Parabéns, zagueiras! Vocês foram impecáveis.

Troféu Suarez de jogadora mais indisciplinada

Nataly, do Rio Saint-Gonçalo, que após um pênalti marcado, chutou a bola para longe e ainda levou amarelo por discutir com o juiz. Apenas pedimos um “calma, jovem, você estava muito exaltada”. (Nota do editor: ela xingou os juízes em todos os lugares possíveis, do facebook até o orkut, de outdoors a todos os jornais. SEGURA ESSE ÓDIO AÍ, FIA)

TROFÉUS DESBLOQUEADOS NESTA EDIÇÃO

O Torneio Kátia Cilene teve três troféus que não estavam previstos, mas foram desbloqueados conforme os acontecimentos dos jogos.

Troféu Messi de craque que vomita 

Maria, do Mauázembe, que passou mal e não pode estar na final. A TRIFA espera que você esteja bem, Maria!

Troféu Eric Cantona de revolta

Bel, do Arujax, que largou a quadra depois de um pênalti.

Troféu Dani Alves de jogadora fashion

 Ju Tersi, do Arujax, com seus óculos espelhados e sua sainha a la Sharapova.

Troféu Fairplay

Mauázembe, vice-campeão, não se abalou com os imprevistos ocorridos na final e se manteve em quadra até o final, honrando o espírito do fair-play, amém.

Grandes momentos do esporte que ocorreram neste II Troféu Kátia Cilene e devem ser guardados em nossas memórias:

– Havia um acervo pessoal de cervejas em quase todos os times femininos. Há boatos de que vodcas e pingas também rolaram. RISOS.

– Diversas jogadoras perderam a hora dos jogos, pois estavam curtindo o funk.

– Teve pouco samba, mas teve. E com direito a dupla de sambistas no Liverpoá.

– Victória, atacante-goleira, entrou para a linha no último jogo.

– Foram feitos, pelo menos, 17 montinhos sobre a Nayara.

– Bianca Mascara, do Salvadortmund, marcou um gol que foi nomeado de “gol de peixinho morto”. A jogadora, já caída, mergulhou morta do chão para cabecear e empurrar a bola pro gol.

– Dois gols de carrinho foram marcados nesta edição. Que raça, meninas!

– As encenações de bate-boca entre Melissa do Mauázembe com Mayra do Salvadortmund e Luciana do Once Poços de Caldas foram tão perfeitas que as pessoas realmente acreditaram que era uma briga. Sabem de nada, inocentes.

– Lu Fávero que jogou sua primeira edição segurou as pontas em campo e foi elogiada pela capitã Mayra.

– Vanessa Ruiz, a zagueirinha que pesa 44 kg (isso é real) e que derrubou a Melissa (1m75) aparentemente em um golpe de judô assassino. Sim, ela acabou expulsa.

– Carol, do Mauázembe, perdeu a linha na final e mandou um “VOCÊ É SURDA?” para Letícia, do Salvadortmund, durante uma reposição de bola na lateral. A Trifon espera que você esteja ouvindo bem hoje, Letícia!

– Num jogo do OPC, um torcedor corneteiro no alambrado disse “cara, essa troca de passes não rola no Santos, não”.

– Capitã Maglioquêra esquecendo sempre de bater o par ou ímpar.

– Malhoca, capitã do Mauázembe, foi para o banco cornetar o próprio time.

– Mayra, capita do Salvadortmund, precisou sair mais cedo mas seu time acabou campeão. Pelo menos teve um dia feliz!

– Pelo menos uma pessoa foi até a Trifon apenas com o objetivo de mandar um “chupa, Nayara”. Que lindo o carinho da torcida!

O Troféu Kátia Cilene agradece todas as jogadoras presentes pelo dia incrível e pela diversão em quadra. E quem não ganhou troféu nesta edição, tudo bem, logo 2015 tá aí para mais uma Trifon!

2 pensamentos em “Os aguardados troféus individuais do II Troféu Kátia Cilene”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *