Drogba e Mourinho reatam bromance depois de sete anos

De volta ao Chelsea após quase duas temporadas, o marfinense Didier Drogba deve estar feliz da vida, no alto de seus 36 anos. Não por achar que tem essa bola toda para ser o mesmo fenômeno da primeira passagem, onde ganhou a Liga dos Campeões e três vezes o Campeonato Inglês. Mas sim porque vai retomar um velho amor com José Mourinho.

Drogba não tem mais essa pompa toda em campo. É um atacante de respeito, mas a sua fase dourada já passou. Ainda mete medo em muito zagueiro, porém não dispõe de tanto vigor e agilidade como nos tempos que o consagraram em Stamford Bridge. Pensa que isso ia dissuadir Mourinho de contratá-lo novamente? Não, a volta do africano é só um passo para que o português tenha o jogador ao seu lado depois da próxima temporada.

Foto: Daily Mail
Foto: Daily Mail

Com os dois, o Chelsea virou uma máquina mortífera em solo inglês e ganhou força na Europa. Entre os abraços em treinamentos,  aquela rosquinha dividida no refeitório, bate-bola no CT e churrascos com a família, os dois viraram uma espécie de dupla dinâmica, como Martin Riggs e Roger Murtaugh, com a sutil diferença que Mourinho é o mais velho da dupla, não podendo assim ser Mel Gibson. Ironicamente, Drogba está ‘velho demais pra essa merda’, e vai encarar mais essa aventura com a camisa dos Blues, a última antes de sua aposentadoria.

Quem viu a franquia estrelada por Gibson e Danny Glover deve se lembrar que Murtaugh ameaçou mais de uma vez se aposentar para poder dedicar mais tempo aos seus familiares. O problema é que Riggs sempre arrumava uma nova investigação que colocava os dois em apuros: carros explodindo, bandidos internacionais, sul-africanos contrabandistas e até um Jet Li assassino entraram no caminho dos dois, que sempre saíam vivos para contar história.

O bromance entre Mourinho e Drogba começou em 2004, quando o português acabava de desembarcar na Inglaterra e contratava um bom atacante do Olympique de Marseille. O tempo deu cabo de fazer com que eles se entendessem, apesar do temperamento explosivo de Drogba, o que caracteriza mais uma coincidência com Martin Riggs.

Com as taças, a relação foi se estreitando. Eles esqueceram suas diferenças e viraram amigos, como a foto ali em cima sugere, nesse abraço quase fraternal. A saída de Mourinho, em 2007, separou a dupla durante alguns anos. Quis Mou ainda levar Drogba para a Inter, em sua passagem de dois anos por lá, antes de assumir o Real Madrid.

Uma taça europeia para cada um depois, (2010 da Inter de Mourinho e 2012 do Chelsea de Drogba), Zé e Didier voltam ao lugar onde começaram a conquistar tudo, juntando suas ambições às do clube, que quer novamente erguer o caneco da Champions. Bem verdade que o Chelsea não parece nada favorito ao título, mas nunca se sabe o que a última aventura da carreira do atacante pode causar em Stamford Bridge.

Preparem os efeitos especiais, a pipoca e as explosões, o maior bromance do futebol inglês está de volta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *