Diário #11 da Copa: Sobre decepções e Cristiano Ronaldo

Domingo, 22 de junho

Lá vamos nós, domingão maroto, saí atrasado de casa porque preferi dormir mais e perdi todo o primeiro tempo de Bélgica e Rússia. Mas quer saber de algo? Sorte a minha. Lutei na linha amarela do metrô para ver o mambembe streaming do GloboEsporte.com e cheguei em tempo de lidar com as piadinhas envolvendo a ótima e broxante geração belga.

BÉLGICA 1-0 RÚSSIA
Me dá uma cerveja aí que é melhor

Teria sido melhor beber uma cerveja Colônia do que ter ficado ansioso pelo jogo entre Bélgica e Rússia. Clichês à parte, o time belga se mostrou bem menor do que era pintado. Muitas vezes a expressão ‘ótima geração belga’ foi usada como chacota depois que alguém disse isso a sério e com razão. As Eliminatórias são sim boas referências técnicas, afinal, consistem em uma grande competição entre três ou mais equipes fortes lutando por duas vagas.

Não se trata de esperar demais da Europa ou qualquer abobrinha nesse sentido. É só olhar os resultados. Mas não vai ser a primeira e nem a última vez que uma seleção decepciona (apesar de ganhar) na Copa. Mas vá lá, não dá pra defender um time com tanto talento jogar pra fazer aquele 1 a 0 grego contra a igualmente decepcionante Rússia. Qualquer pessoa teria se deprimido com a partida no Maracanã. Sabe o que fez valer o ingresso? O gol de Origi, no fim do segundo tempo. O atacante entrou no lugar de outra decepção: Lukaku, que não deve voltar ao time titular.

Do lado da Rússia, Fabio Capello deve estar pisando em cima das calças, de raiva do time medroso e desatento que montou. Vai sair da Copa sem deixar saudade alguma. Amém.

COREIA DO SUL 2-4 ARGÉLIA
O melhor jogo inesperado que você já viu

Foi preciso pouco tempo de jogo para que Coreia do Sul e Argélia empolgassem a galera no Beira-Rio. Slimani fez um golaço e passou pela defesa coreana como um tanque. Halliche cabeceou e foi às redes. Djabou achou outro, pouco depois: em 12 minutos a Argélia fez três gols na pobre retaguarda oriental.

A Coreia só foi reagir no segundo tempo, quando o infalível Son dominou DE COSTAS e ganhou do zagueirão para marcar. Brahimi, o Garrincha argelino, DIBROU sem piedade o pessoal na cozinha e marcou o quarto. Koo Ja-Cheol diminuiu para 4 a 2 e a galera em Porto Alegre pensou que teria um churrascão em campo. Só que parou por aí.

Detalhe é que todos esperavam um 0 a 0 tosco, feio, cheio de caneladas e gols perdidos. Mas pra isso a Argélia apareceu e salvou o dia. Sorte do futebol.

ESTADOS UNIDOS 2-2 PORTUGAL
Não dá pra jogar com um homem só

É muito fácil de marcar o time de Portugal. Não dá pra não dizer que os lusitanos dependem exclusivamente da inspiração de Cristiano Ronaldo. O gajo fintou aqui e acolá, deu dois passes para gol e nem assim seu time venceu.

Portugal não se aproveitou das entregadas americanas no início e pagou o preço pela péssima escolha de seus atacantes, excetuando, claro, Cristiano, que tinha todos os olhares e marcadores possíveis em campo. Nani abriu o placar, Jones carregou e mandou um golazo onde Beto nem se mexeu para tentar defender. O drama então virou um fado para Cristiano e seus garotos.

Pensa então como ficou a Terrinha quando Dempsey foi à rede e virou o jogo. Era muita choradeira, lamento, estamos fora de novo, ai meu deus segura Berenice que nós vamos bater.

Cristiano deveria mudar seu nome para Cristiano Ronaldo Cruzou Para Varela E Portugal Continua Sonhando Com Um Time Lixo. Isso certamente faria jus ao que ele passa. E quer saber? Portugal não classifica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *