Yaya Touré e o aniversário da discórdia

Mesmo na posição de jogador mais importante no esquema do Manchester City, o marfinense Yaya Touré pode estar trilhando um caminho irreversível de atrito com o clube. Recentes reportagens no jornal inglês Guardian, indicam que o volante está tremendamente insatisfeito com a diretoria da equipe inglesa. É certo dizer que o impasse deve tirá-lo dos Citizens.

Aparentemente, Yaya é um cara sentimental. Segundo Dimitri Seluk, agente do atleta, o marfinense se sentiu muito “desimportante” quando cartolas do City simplesmente esqueceram de seu aniversário, na semana passada. A questão pode, claro, ser um pretexto perfeito para que ele encontre um ponto de ruptura com a diretoria e possa assim ser negociado com outro time.

Foi o primeiro indício de uma relação conturbada entre o jogador e a equipe, que não aceita vendê-lo em hipótese alguma. Recusa absolutamente normal quando se trata de um pilar da última conquista na Premier League. Touré não é à toa considerado um dos melhores do mundo. Na posição, poucos são tão eficientes, regulares e decisivos como o africano.

Ainda segundo a reportagem do Guardian, Touré estaria se sentindo inferiorizado em relação a David Silva, Vincent Kompany e Sergio Agüero nos vestiários. Foi nesse contexto que o seu empresário resolveu se meter na questão e piorou as coisas, dizendo que o City ‘não se importa com o seu cliente’ -fato que teria ficado às claras com o episódio do aniversário- e que ele certamente sairia na próxima janela de transferências. Ao invés de negar a declaração de Seluk ou jogar panos quentes sobre a polêmica, Yaya confirmou que tudo que seu agente disse era verdade, em sua conta no twitter.

Foto: Goal.com
Foto: Goal.com

Muito se fala na própria mídia inglesa (isto é, Guardian, Daily Mail e The Sun) que o destino de Touré pode ser o Barcelona, que anseia por retomar o domínio da Europa e precisa de uma reconstrução urgente para isso. Seria uma reconciliação do camisa 42 com os catalães, já que ele saiu do Camp Nou em 2010 para embarcar no projeto ambicioso e milionário do Manchester City.

Aos 31 anos, o volante ainda tem muito a oferecer para o futebol e sobretudo para a sua seleção, presença constante em Copas desde 2006. É certamente a melhor fase de Touré no esporte e a Costa do Marfim precisa saber tirar proveito disso se quiser avançar de fase, um feito inédito para o país.

Topa tudo por dinheiro

Enquanto a novela se desenrola, um detalhe esquecido na trama pode ser determinante. Em janeiro, Yaya declarou ao Daily Mail que adoraria jogar pelo Paris Saint-Germain antes da aposentadoria. O interesse do atleta teria servido como um aceno de “ei, me procurem, vamos conversar”?

Evidente que o PSG não precisa de Touré para ser visto como uma potência, e o setor que ele atua não é bem uma carência para os franceses. Mas quando se trata de tirar um grande jogador de um concorrente real pelo título europeu na próxima temporada, todo dinheiro é pouco para se reforçar. O marfinense chegaria para ser titular em qualquer time, em qualquer outra seleção.

Se o pedido de transferência depois da Copa é blefe ou uma ferramenta para negociar um salário mais alto (detalhe: o City foi multado pela UEFA por violar o teto salarial imposto pelo Fair Play Financeiro), saberemos em breve. De repente ser um dos jogadores mais bem pagos do mundo no atual campeão inglês não representa tanto status assim. O que mais Touré pode querer?

A trama ficou densa (and the plot thickens…)

O cartão de aniversário chegou. Podemos então riscar o fator birra dessa lista. É um caso muito mais sério do que um feliz aniversário pode sugerir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *