Agora um poeminha

Por João Paulo Borgonove

O Vélez Brásfield foi mais ou menos
jogando a Copa Trifon Ivanov.
Ganhamos e perdemos
tudo culpa do Isvetcoff.

O Dorneles marcou gol
com a garra de um Sacolero.
Mas ao mesmo tempo se machucou
seguiu no jogo como um guerreiro.

O Barcelos veio de longe
lá das bandas do Pará.
Afastou tudo lá zaga
mandou as bolas pra Marabá.

O xará jogou como Trotta
buscando o jogo com habilidade.
No final chamou a responsa
mas perdeu a penalidade.

O Pazini jogou pra caralho
meteu gol e fez dancinha.
Mas na hora de passar
toca a bola seu fominha.

O Paranhos é um monstro
que jogou no gol e na linha.
Defendeu tudo na zaga
e atacou quando não valia.

O Murilo é um jogador completo
incansável no ataque e na defesa.
Meteu gol com um a menos
esse é craque com certeza.

O Stein chegou bem tarde
estava trampando em dia sagrado.
Fechou o gol e não foi vazado
mas o Vélez foi eliminado.

Esse poeminha tá bem tosco
sem rimas e incompreensível.
Mas o que vale é lembrar
que o nosso sábado foi inesquecível.

O campeonato era difícil

todos os times eram fortes.
Mas não foi nenhum sacrifício
pra todo mundo gritar CHUPA PORTES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *