A faixa de capitão que gerou atrito no Bayern

Matthaus e Klinsmann Inter

A guerra de egos entre Lothar Matthäus e Jürgen Klinsmann se deu antes da campanha da Euro 96, na qual a Alemanha levantou o título após derrotar a República Tcheca. E tudo por causa de uma faixa de capitão que Klinsmann herdou do colega.

Certos jogadores levam o posto de capitão muito mais a sério do que a maioria. Especialmente se esse for o caso de um ícone nacional. Lothar Matthäus, capitão do Bayern e da seleção alemã, experimentou ter perdido a faixa para um colega e criou o maior caso por isso.

Nos anos 90, o Bayern tentava se reerguer após uma década que fugia aos seus padrões vencedores. Para isso, contratou um elenco fortíssimo para retomar a hegemonia dentro da Alemanha. Oliver Kahn no gol, Markus Babbel e Thomas Helmer na defesa, Lothar Matthäus, Ciriaco Sforza, Andreas Herzog, Jean-Pierre Papin, Emil Kostadinov e Jürgen Klinsmann formavam um time competitivo que em 1995-96 bateu o Bordeaux para levantar a taça da Copa UEFA. Só que algo estava errado naquele time.

Com tantas estrelas, era difícil manter a harmonia no vestiário. O artilheiro daquele time, Klinsmann, foi pivô de uma polêmica que marcou a ruptura do chamado “Bayern Hollywood”. O grande conflito travado foi entre o atacante e Matthäus, que não foi convocado para a Euro em 96 por desentendimentos com o novo capitão da seleção… Klinsmann. A escolha foi feita por Berti Vogts, que enxergava Jürgen como um líder mais preparado para levar a Alemanha ao título europeu depois de 16 anos.

114c6-matthauseklinsmannbayernwelt

Foto: Welt.de

Contrariado, Matthäus acusou o colega de ter armado contra ele, a famosa puxada de tapete. Fora da última competição vencida pelos alemães, o meia resolveu demonstrar de outra forma a sua insatisfação com Klinsmann: apostando contra ele. A aposta foi feita com Giovanni Trapattoni, e nela estava prevista que se Klinsi marcasse mais de 15 gols na sua segunda temporada pelo Bayern, Matthäus pagaria 5 mil euros. O atacante fez exatamente o número estipulado, mas sua passagem pelo clube bávaro se encerrou ali.

“Isso é verdade, mas não posso confirmar sobre o valor. Não sei se eram exatamente 5 ou 2 mil, mas fiquei muito chateado com aquilo. Felizmente ele perdeu a aposta. Depois nós conversamos e chegamos ao consenso de que aquilo não era bom para nenhum dos dois. Aquela aposta foi motivo de muitas discussões, porém, hoje somos amigos, deixamos isso para trás”, conta em entrevista ao site da Four Four Two.

O clima não era favorável a Klinsmann e sua família, e o atacante resolveu terminar seu contrato um ano antes do previsto, sendo negociado com a Sampdoria em 1997-98. A sua despedida, apesar do título alemão, foi melancólica e marcada por um episódio de raiva após uma substituição, como mostra o vídeo abaixo.

O vencedor da queda de braço no Bayern, Matthäus, até voltou a disputar partidas pela Alemanha e foi convocado para a Copa de 1998, quando foram eliminados pela Croácia nas quartas de final. Lothar seguiu no Bayern até 2000, quando assinou com o NY Metrostars e foi para os Estados Unidos.

Um pensamento em “A faixa de capitão que gerou atrito no Bayern”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *