O microfone oculto de José Roberto Wright

A decisão da Taça Guanabara de 1982 ficou marcada por uma novidade tecnológica que não agradou os finalistas. Sem avisar Vasco e Flamengo, o árbitro José Roberto Wright aceitou o desafio proposto pelo programa Esporte Espetacular, da TV Globo, e entrou em campo com um microfone sem fio escondido em seu uniforme.

O Flamengo ganhou o jogo por 1 a 0, mas nenhum dos clubes saíram satisfeitos com a atuação do juiz. Os rubro-negros processaram a Globo por uso indevido da imagem e o Vasco reclamou que o meia Geovane foi perseguido por Wright durante a partida.

O tal microfone oculto gerou tanta polêmica na época que o jornal carioca JB noticiou o caso como “Watergate do futebol”. A “atuação” do juizão, com o áudio do microfone, na final pode ser vista no vídeo abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *