Enxurrada de títulos: todos fomos campeões

Sou daqueles que quando perde gasta todo o repertório de xingamentos. Neste sábado já fui para o Playball pensando na galhofa, e como há tempos não fazia, o que menos queria saber era o que iria acontecer dentro das quatro linhas. Após a compilação de lances pornográficos onde a bola, coitada, foi estuprada por 80 jogadores frustrados, fui grato por não esperar muita coisa.

O barato foi que a Copa tinha um punhado de pernas de pau, misturados de forma aleatoriamente justa, formando times ruins, protagonizando cenas piores ainda. Todo mundo se conhecia, mas poucos realmente conheciam um ao outro. Sabiam-se as arrobas, alguns até companheiros de bar, mas na bola mesmo, a grande maioria se conheceu ali, e isso fez com que tudo ficasse tão divertido.

Nesse GRANDIOSO evento desportivo realizado em São Paulo o que mais se viu foram cornetas e xingamentos, o maior combustível do torneio em questão. Apesar da MARMELADA que foi o título do Rad, do capitão Portes que “sorteou” o time e também “sorteou” os grupos, todos saíram vencedores, todos sorriram, todos comemoraram, e todos xingaram o organizador, o que é o mais importante.

A verdade é que todo o clima do Twitter foi refletido num ambiente só, e como bem observou Léo Rossatto após a competição, e todos concordaram, a lamentação foi uma só: por que não fizemos isso antes? Talvez o que tenha faltado foi a ideia, daí os agradecimentos a Portes, Thom, Borgo, Leopoldo – o dono da churrasqueira, aliás -, Julio, Colombari, Bonsanti, Moret e todos os outros que aos poucos foram se envolvendo, pois a partir da iniciativa veio a mobilização, que resultou no que vimos.

Quanto ao meu Guarujasaray, não há muito a ser comentado. Ficamos último, mas ganhamos o troféu do Campeão Só Que Não, e mais três prêmios individuais, logo, faturamos mais coisa do que a grande maioria dos rivais. Rumo ao bicampeonato em 2014.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *