Sem palavras

Ugabugababy baby/ Ugabugababy baby/ Ugabuga, ugabuga/ Ugabugababy baby/ Ugabugababy baby/ Ugabuga, ugabuga.

Pelo amor de Deus, que rodada desgraçada. Toda a terra resolveu usar as façanhas farroupilhas de modelo e então fizeram feriado de gols, de jogos interessantes, etc.

Ok, algumas coisas supreenderam: o gol perdido pelo Deiv…digo, ELIAS, no último lance do empate entre Náutico e Flamengo (0-0); a derrota do Inter (jogando com uniforme visitante) para a sempre-nos-prejudicam-Portuguesa (0-1); a bola nas costas do RC01 (ROGÉRIO: Ae Rodrigo, que time é teu? RODRIGO: Bateu na trave, nas tuas costas, entrou no teu), que resultou no gol do Goiás contra o São Paulo (1-0); a virada do Bahia sobre o Botaf…pensando bem, o 1-2 do tricolor baiano não é assim tããão surpreendente se considerarmos que TEM COISAS QUE SÓ ACONTECEM COM O BOTAFOGO.

Com isso, o Cruzeiro, mesmo tendo ficado (também) no 0-0 contra o Corinthians, no Pacaembu, conseguiu AUMENTAR a vantagem pro vice-líder. O resto da rodada – pelo menos no domingo – foi o óbvio, os mandantes venceram: Santos contra Criciúma (2-1), Atlético Paulobaiernense contra Ponte a-coisa-tá-Preta (1-0), Atlético-MG contra Vasco (2-1, inclusive o Victor voltou a falhar – ficou só com as penas do frango na mão). Blá, blá, blá.

Campeonato de pontos corridos é uma metáfora da vida: no geral, uma chatice, e a gente tem sempre que procurar um motivo pra dar sentido à porra toda.

Troféu URRÚ FERIADINHO: Pro Juventude, aqui do RS, que conseguiu subir de divisão (da D pra C) depois de quatro séculos, num 0-0 copero.

Troféu FERIADO NO SÁBADO: A baixíssima média de gols da rodada e os três empates em 0-0.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *