Futebolia

Gol de Baltazar / Gol de Baltazar / Salta o “Cabecinha” / Um a zero no placar. Abram alas para o texto do El.

Que golaço. Que puta golaço. Que gol genial. Não é novidade pra ninguém que eu tô sempre no Couto, todo mundo tem uma noção, nem que superficial, de como eu encarei o jogo de ontem. Tem muito pra falar, mas aqui só cabe uma pincelada: Fluminense, que fez a festa em cima do Coxa nos últimos 4 ou 5 anos, jogou muito mais, aproveitando bem os espaços que o Coxa deu. De resto, Alex. Que golaço. Quero parabenizar aqui a rede do gol do Couto Pereira. Não fosse ela, aquele MÍSSIL atravessaria o estádio e a essas horas estaria na ÁFRICA matando mais um pobre elefante enquanto seguiria sua viagem devastadora ao redor do globo, só parando se, por alguma coincidência, entrasse novamente no gol e encontrasse a rede lá. Que golaço.

Bora pra rodada. Primeiro, uma obs: é maneiríssimo tu ligar a TV 19h30 e desligar quase meia-noite depois de acompanhar 9 jogos de futebol. Essa quarta foi esse CARNAVAL todo. E no bloco ABRE ALAS, veio o Criciúma, a SeleAQUELE2013, ARREGAÇANDO o Santos. É muito legal ver o Criciúma jogando porque todo mundo vai encontrar ali alguém que já xingou um dia na vida. E tá lá as criciumense todas amando os furunco.

Além deles teve o Inter empatando com a Portuguesa. Mas não se espantem, porque o Inter vem forte pro Brasileiro®. A gente que não acompanha o Inter com tanta frequência pensa assim “pô, o Muriel também não dá muita segurança né, quando o Renan voltar da lesão deve voltar a ser titular” mas EIS QUE DO NADA o Renan surge no Morumbi com a camisa só Goiás. Tipo: ã? Tá, que seja, o Goiás do Renan (!!!) JANTOU o São Paulo, copando três pontinhos na Série A desde faz tempo. E eu consigo imaginar o Juvenal bebaço com uma viola no colo tocando “Na beira do caos”.

Beleza, depois veio o segundo bloco da rodada, dançando e rodando e batendo palmas. Um Grêmio 1×0 Vitória que despertou a mesma reação em todo mundo que não acompanhou o jogo: “”tá, ok, próximo”. Mas é bom lembrar que o resultado faz parte do Projeto Quinto Lugar, especialidade de Caio Junior. Aí teve o Vascão meteu-lhe dois cocos no Galo. A bizarro é ver que, de acordo com a minha previsão, o Galo está apenas 19 posições abaixo da expectativa. E ainda teve o outro Atlético, o Paranaense, passando o CARRO ALEGÓRICO em cima da Ponte (o que tem todo um sentido prático se for ver bem né). Quem não viu (a maioria, afinal, era Ponte x Atlético-PR né) deveria ver, porque todo 4×3 merece atenção. Some-se o fato de que o Atlético já dava mostras de querer a coroa de REI DOS EMPATES até que o Marcão foi lá e derrubou o Guto Ferreira.

Daí veio a ALA DA BAIANAS. Que troço louco o Bahia. De time-bônus do campeonato passou a vice-lider em oitavo (cara, olha esse campeonato, tá maravilhosamente retardado, o oitavo é vice-lider). O bacana é dar uma sacada nos gols do jogo: no primeiro, o Vitinho bate uma bola igual quando tu joga uma pedrinha na água e ela vai quicandinho (quem não estudou TENSÃO SUPERFICIAL no colégio não merece entender a referência). Daí depois o goleirão do Botafogo mostrou ser ma PAREDE: tu chuta e a bola volta. Mas bonito mesmo foi a precisão do lançamento do Phillip Ghabryheel, uma invertida de jogo, pra pegar a zaga desatenta e botar o atacante na cara do gol. Lançamento de Gerson, de Beckham. Golaço do Bahia. Do Bahia. Tá, pra não enrolar mais, os umazeros: Do campeão mundial em cima do vice-mineiro? Naaaaaananananão. Do Flamengo em cima do Náutico? Naaaaaaananananão. Esse campeonato tá tudo errado, e por isso mesmo, tá tudo certo.

Troféu ESTAÇÃO PRIMEIRA DE MANGUEIRA: O líder, o quatrocentos, o mito, a lenda, o alex, Alex.

Troféu EMBAIXADORES DA ALEGRIA: O embaixador da alegria bahiana, o ao contrário, o dos inverso, o de revesgueio, o de fianco, Phillip Ghabryhell.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *