Bradford City: Uma taça, incêndio e falência

Zebra, Bradford City chega para disputar a final da Copa da Liga Inglesa com o Swansea e tem algumas boas histórias para contar; entre elas incêndio no seu estádio e pedido de falência na década passada.

O Bradford City vai pisar no gramado de Wembley dezessete anos depois do seu primeiro jogo no estádio mais tradicional da Inglaterra. Desta vez, não será para decidir uma vaga na segunda divisão, mas para tentar conquistar a Copa da Liga Inglesa contra o Swansea. Pode ser o segundo título importante do clube de uma cidade com cerca de 500 mil habitantes, que fica a 14 quilômetros ao oeste de Leeds e a 320 quilômetros ao norte de Londres.

Fundado em 1903 para concorrer com o rúgbi, entrou em campo pela primeira vez na derrota por 2 a 0 para o Grimsby Town. Chegou à primeira divisão cinco anos depois e, em 1911, conquistou a Copa da Inglaterra com uma vitória por 1 a 0 sobre o Newcastle, em Old Trafford, após empatar por 0 a 0 em Crystal Palace. O gol do título foi marcado pelo atacante e capitão Jimmy Speirs.

Jimmy nasceu em 1886, em Glasgow, na Escócia, e passou três anos no City antes de se transferir para o Leeds United, principal rival do Bradford. Sua carreira foi interrompida pela Primeira Guerra Mundial, que eclodiu em 1914. Ele chegou a ser sargento de infantaria do exército britânico e ganhou uma medalha militar pela sua bravura no campo de batalha. Morreu com 31 anos na Batalha de Passchendaele, também conhecida de Terceira Batalha de Ypres, cidade belga que abrigou o confronto dos Aliados contra o Império Alemão entre julho e novembro de 1917.

O troféu que o Bradford levantou em Old Trafford foi, curiosamente, forjado em casa. Em 1910, a Associação de Futebol da Inglaterra descobriu que a copa que estava sendo utilizada desde 1886 foi pirateada e pediu uma nova para joalheria a Fattorini and Brothers, fundada pelo imigrante italiano Antonio Fattorini, em 1827. A filial de Bradford foi aberta em 1850.

O City foi rebaixado em 1922 e demoraria 77 anos para atuar na elite do futebol inglês. Passou a maior parte desse tempo na terceira divisão.

Incêndio

O capitão do Bradford, Peter Jackson, entrou no gramado do Valley Parade, estádio do time, para receber o troféu de campeão da terceira divisão inglesa de 1985. Os 11 mil torcedores que estavam presentes esperavam comemorar a promoção e o título na última partida da temporada contra o Lincoln City. No entanto, 56 deles nunca voltaram para casa, e 265 retornaram com ferimentos.

Por volta das 15h40 do dia 11 de maio, cinco minutos antes do intervalo, começou um incêndio em três fileiras atrás do Bloco G. A polícia começou a evacuar o público, mas a Inglaterra ainda não havia passado pela Tragédia de Hillsborough e pelo Relatório Taylor. Os estádios não eram seguros, e muitos morreram pisoteados pela multidão.

Acredita-se que a causa do maior incêndio do futebol inglês foi uma bituca de cigarro ou um fósforo jogado em um copo. O desastre foi potencializado pelo lixo que estava embaixo das arquibancadas de madeira. O Bradford passou 19 meses longe do seu estádio, que foi reconstruído ao custo de 2,6 milhões de libras.

Premier League

Nos anos 1990, o empresário Geoffrey Richmond era rico, graças à indústria de isqueiros, e presidente do Scaborough. Em 1994, o natural de Leeds trocou de lugar com Dave Simpson, que não conseguia sanar as dívidas do Bradford City. Simpson assumiu o Scarborough, e Richmond voltou para perto de casa. Emprestou 2,3 milhões de libras para equilibrar as contas do seu novo clube.

Seu plano era chegar à recém-criada Premier League em cinco anos. E conseguiu. Em 1996, subiu para a segunda divisão com o técnico Chris Kamara, demitido em janeiro de 1998. Paul Jewel assumiu o clube, encerrou um jejum de 77 anos e o levou à elite do futebol inglês.

A primeira temporada do Bradford na Premier League, a de 1999/2000, foi de altos e baixos, com várias goleadas sofridas e, por exemplo, dois empates com o Tottenham e uma vitória sobre o Arsenal. O clube escapou do rebaixamento apenas na última rodada após ganhar do Liverpool por 1 a 0.

Entre junho e agosto de 2000, o Bradford jogou a primeira competição internacional da sua história. Convidado a participar da Copa Intertoto, venceu o FK Atlantas, da Lituânia, por 3 a 1. No jogo de volta, fez 4 a 1 e se classificou à terceira rodada. Com um placar agregado de 3 a 0, eliminou o holandês RKC Waalwijk e alcançou as semifinais, mas acabou caindo para o Zenit St. Petersburgo. Perdeu por 1 a 0 na Rússia e por 3 a 0 em casa.

O assistente Chris Hutchings assumiu o Bradford no lugar de Jewel, que foi contratado pelo Sheffield Wednesday. O clube gastou 2,5 milhões de libras para contratar o meia David Hopkin do Leeds e 800 mil pelo romeno Dan Petrescu, do Chelsea. Também conseguiu atrair os defensores Ian Nolan e Peter Atherton, do Wednesday, e o atacante Benito Carbone, do Aston Villa.

O atacante Stan Collymore, contratado por uma soma milionária pelo Liverpool em 1995, estava em litígio com o técnico do Leicester City, Peter Taylor, e também aceitou jogar no norte da Inglaterra. Apesar dos reforços, Hutchings não aguentou muito tempo e foi demitido em novembro de 2000. Jim Jefferies o substituiu, e o clube caiu com a sétima pior campanha da história da Premier League com 20 clubes. Foram apenas 26 pontos em 38 rodadas. Dois anos depois de voltar à elite, o Bradford estava novamente rebaixado.

Falência

As contratações de jogadores caros foram insuportáveis para o Bradford City. Petrescu e Collymore saíram antes da disputa da segunda divisão, mas Carbone, com salários estimados em 40 mil libras por semana, não conseguiu um novo clube. Em maio de 2002, com dívidas na casa das 13 milhões de libras, o Bradford entrou em falência, e Richmond renunciou.

O empresário não fugiu da responsabilidade e assumiu que gastou muito mais do que deveria nos dois anos em que esteve na Premier League, principalmente no início da temporada 2000/2001. “Foram seis semanas loucas. Eu nunca, nunca vou me perdoar por ter gastado dinheiro daquela forma”, afirmou.

O Bradford City continuou indo para baixo. Em 2004, passou por uma segunda intervenção, caiu para a terceira divisão e, três anos depois, atingiu fundo do poço do futebol inglês, o equivalente à quarta divisão. Uma vitória na final da Copa da Liga Inglesa não apagará décadas de fracassos, mas pode dar à atual geração de torcedores uma alegria que eles nunca experimentaram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *