TF História: O jogo que Paparelli não viu

Foto: Salla della memoria Heysel
Cleber Gordiano, @Cleber_Gordiano

Lazio ainda sente a perda de um torcedor num dérbi romano em 1979: Vincenzo Paparelli morreu enquanto via seu time enfrentar o maior rival no Olímpico; sinalizador lançado pela torcida romanista causou o incidente

A rivalidade é uma das coisas mais bonitas do futebol, mas quando ela passa dos limites, pode provocar tragédias que ficam marcadas para sempre e destroem vidas e famílias. Lazio e Roma possuem grandes histórias em campo que podem ser contadas.
Vincenzo Paparelli era mecânico e tinha uma mulher e dois filhos. No dia 28 de outubro de 1979, ele foi com a esposa ao estádio Olímpico ver o dérbi romano, ver sua Lazio jogar. O time biancoceleste passava por tempos difíceis: no fim da década de 70 a equipe oscilava entre a primeira e a segunda divisão. O Derby della Capitale era a oportunidade de recuperar o orgulho ferido. Paparelli estava na Curva Nord, sentado ao lado da mulher e comendo um sanduíche enquanto aguardava o início do jogo. Mas Paparelli não viu o que planejava naquela tarde. Foi sentado ali na Curva Nord, simbolo da torcida laziale, que Paparelli viveu seus últimos momentos.
Da Curva Sud, onde ficavam os adeptos romanistas, partiram dois foguetes sinalizadores em direção ao setor rival, caíram fora do estádio. O terceiro sinalizador, que atravessou o gramado e foi direto até a Curva Nord, foi o que tirou a vida de Paparelli. Enquanto fazia seu lanche, o laziale foi atingido no olho esquerdo pelo foguete. Sua esposa gritava desesperadamente por ajuda ao seu lado. Uma ambulância ainda tentou levá-lo ao hospital, mas Vincenzo já chegou lá sem vida. Ele tinha 33 anos.
Mesmo com o incidente e com o protesto dos torcedores, a partida aconteceu, com um ambiente sombrio. O resultado? 1 a 1, com gols de Zucchini para a Lazio e de Pruzzo para a Roma. Mas pouca gente se lembra do clássico. Muitos com medo até abandonaram o estádio antes do apito inicial. Este dérbi ficará marcado por uma tragédia que destruiu uma família e deixou uma mulher viúva e dois filhos sem pai.
A polícia identificou Giovanni Fiorillo, de 18 anos, como o autor do disparo que matou Paparelli. O rapaz fugiu, mas logo foi preso e condenado a seis anos e dez meses de reclusão por homicídio culposo. Durante este período, Fiorillo pedia desculpas quase que diariamente ao irmão de Vincenzo, dizendo que não tinha intenção de matar ninguém naquele dia.
Duas décadas após o triste episódio, a rivalidade foi usada novamente como motivo para mais um ato covarde. Na mesma Curva Sud de onde saiu o sinalizador em 1979, foi exibida uma faixa zombando do acontecido, que dizia: “Paparelli, você está perdendo os belos tempos“. Pouco tempo depois, a mesma curva exibiu uma faixa em memória do laziale: “Além das cores, respeito a Paparelli“. Respeito que deve estar acima da rivalidade, da qual o torcedor foi vítima.

Um pensamento em “TF História: O jogo que Paparelli não viu”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *