De volta à Revista Total Seedorf Football‏

Foto: Globoesporte.com
Rodrigo Salvador, @novosomsalvador

O bom filho à casa torna, dizem. E pelo jeito o filho que só fala merda também, porque eu voltei pra TF. Ano passado o chefe Portes falou assim: “Sal, [obs: já falei que tenho dúvidas a respeito da orientação sexual de quem me chama de Sal ou Salva, mas isso é apenas uma obs] rola de escrever pra gente na TF sobre o Brasileirão?” Topei de boa. O que aconteceu? O Coxa empatou com o Bahia, 0x0. E é nesse clima ~revival~ que eu volto pra cá (re)começando os trabalhos com um “puta que la merda galera taloco” .


Mas na real que nada a ver começar falando do Coxa numa rodada que teve a estreia de SEEDORF NO BOTAFOGO. Tá, a gente fica sempre meio puto quando narrador/comentarista fica puxando saco da estrelinha do jogo, quando cada passe de lado é coisa de gênio. Mas duvido que quem viu o jogo não ficou pensando “porra, é o Seedorf mesmo, com patrocínio da Guaraviton nas costa e tudo“. É tipo você lá na praia jogando um futvolei honesto, aí do nada aparece o Eri Johnson pra jogar. Você até joga mas erra tudo porque tem que olhar pra pinta dele a cada 10 segundos pra se convencer que é ele ali mesmo.

Tá, agora eu imaginei o Eri Johnson tropeçando na bola com a 10 do Botafogo e tô gargalhando sozinho, já volto terminar esse texto.

Voltei. Pensei em falar da dança dos técnicos, aí imaginei Joel Santana, Argel, Falcão e Dorival Junior dançando de casalzinho numa festa junina. Eu não sei se foi aquela gelatina do almoço, mas ó as coisa que eu tô pensando, sério. Melhor esquecer os técnicos.

Na real que é melhor esquecer tudo. O evento mais foda do fim de semana foi meu time terminar em terceiro no campeonato interno aqui da empresa e MARCELO LIPATIN (AQUELE, ex-Coxa e Grêmio) ter sido o artilheiro do campeonato. Joguei o mesmo campeonato que o Marcelo Lipatin, eu sei exatamente como a galera se sentiu com o Seedorf no campo ontem.

Na próxima rodada, convido a todos os amantes das pequenas alegrias do futebol para assistir o duelo entre O HOLANDÊS SEEDORF DO MILAN e O SEXAGÉSIMO TERCEIRO MAIOR BRASILEIRO DE TODOS OS TEMPOS. Aliás, em que posição o Seedorf ficaria na eleição do maior holandês de todos os tempos? Fica a questão no ar para reflexão.

Apêndice:
O mais melhor da rodada: Não teve nenhum 0x0, assim que é bonito.

O mais pior da rodada: Marcantônio (voto padrão do josé), Jonas (voto padrão do El), o juiz de Ponte e Flu, puta cuzão.

O mais ou menos da rodada: Gente, o Seedorf jogou de verdade mesmo, quem já botou fé fala EU.


Rodrigo Salvador falará do Campeonato Brasileiro todas as segundas e terá a companhia de José (o Zé Nascimento) às quintas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *